Naturista neozelandês vai à Justiça para poder andar nu

Um neozelandês decidiu recorrer à Suprema Corte para legalizar o ciclismo nudista na via pública, informa hoje a imprensa.

EFE |

Nick Lowe, um construtor de 40 anos, entrou com um recurso contra uma multa de US$ 140 que um juiz lhe impôs por andar de bicicleta nu. O argumento usado na queixa feita ao Supremo foi de que o país deveria ser mais tolerante.

Lowe acha que não faz nada ofensivo por andar nu de bicicleta na semidesértica estrada que chega à casa que tem em Upper Hutt, um pequeno povoado a 32 quilômetros de Wellington, a capital nacional.

"É um estilo de vida, não se trata de exibicionismo. É que me sinto incomodado usando roupa", diz o neozelandês, denunciado à polícia por um motorista que se surpreendeu ao passar por ele na rodovia.

Lowe afirma que se sente melhor pelado: "Ando nu em casa. Fico no gramado nu, rego o jardim nu... Por que preciso usar roupa se não quero?", questiona.

No recurso apresentado ao Supremo, o construtor lembrou que a Nova Zelândia endossa o Dia Nacional dos Nudistas, o Dia dos Casais Nudistas e até uma corrida de bicicleta com pessoas nuas em Central Otago, uma região da Ilha do Sul.

Ele argumentou ainda que ninguém reclamou quando disputou nu um triatlo, competição para a qual, como não poderia deixar de ser, treinou sem roupa.

O resultado da apelação será divulgado pelo Supremo nos próximos dias.

Leia mais sobre nudismo

    Leia tudo sobre: nudismo

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG