Viena, 30 abr (EFE).- A jovem austríaca Natascha Kampusch, conhecida por reaparecer em 2006 após ficar oito anos seqüestrada perto de Viena, anunciou hoje que fez uma doação imediata de 25 mil euros para as vítimas de Josef Fritzl, acusado de manter em cativeiro e abusar sexualmente de sua filha Elisabeth, com quem teve sete filhos.

Em comunicado, Kampusch, de 20 anos, também fez um pedido internacional para a doação de dinheiro para a família Fritzl, propósito para o qual abriu uma conta especial em um banco austríaco.

"Como ajuda imediata, depositei 25 mil euros para ficar à disposição da família", diz a mensagem.

Kampusch afirma que entrou em contato com o advogado das vítimas e com as autoridades do estado da Baixa Áustria para definir o mais rápido possível como é possível oferecer uma ajuda concreta.

A jovem, seqüestrada aos dez anos de idade pelo técnico Wolfgang Priklopil e mantida em um cativeiro minúsculo construído debaixo da garagem de uma casa, já havia anunciado na última segunda sua disposição de ajudar.

Kampusch afirmou que considera ter vivido um suplício comparável ao de Elisabeth, mas que também deseja ajudar toda a família com parte do dinheiro que arrecadou nos últimos dois anos.

Fritzl, um aposentado de 73 anos, foi detido no último domingo após ser acusado de ter abusado da filha, crime que confessou um dia depois. EFE wr/wr/fal

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.