Nasa estende por dois anos missão de sonda Cassini-Huygens em Saturno

Washington, 15 abr (EFE).- A Nasa (agência espacial americana) estendeu por mais dois anos a missão da sonda internacional Cassini-Huygens, cujas assombrosas descobertas e imagens revolucionaram o conhecimento de Saturno e suas luas, anunciou hoje o Laboratório de Propulsão a Jato (JPL).

EFE |

Originalmente, a missão conjunta da Nasa e da ESA, a agência espacial européia, deveria ser concluída em julho deste ano e a prorrogação de dois anos permitirá que a sonda inclua outras 60 órbitas e estude as luas do planeta.

Um comunicado do JPL revelou que a nave realizará 26 sobrevôos por Titã, sete por Encélado e uma por Dione, por Rea e por Helena em deslocamentos que incluirão estudos dos anéis de Saturno, sua magnetosfera e do próprio planeta.

"Esta ampliação não é só uma motivação para a comunidade científica, mas para que todo o mundo continue decifrando os segredos de Saturno", disse Jim Green, diretor da Divisão de Ciências Planetárias da Nasa.

"As novas descobertas foram o marco de seu sucesso, juntamente com as assombrosas imagens transmitidas para a Terra, que são simplesmente alucinantes", acrescentou.

Durante quatro anos de atividade contínua, a Cassini transmitiu quase 140 mil imagens e informações recolhidas durante as 62 órbitas em torno de Saturno, 43 sobrevôos por Titã e 12 mais às outras luas.

Mais de dez anos após seu lançamento e quase quatro anos depois de entrar na órbita de Saturno, a Cassini é uma nave espacial "saudável e robusta", segundo o comunicado.

Acrescentou que mesmo quando três de seus instrumentos científicos sofreram problemas de funcionamento, o impacto sobre sua missão foi mínimo.

Segundo Bob Mitchell, diretor do programa da nave no JPL, "Cassini está trabalhando excepcionalmente bem e nossa equipe está motivada. Então nós estamos animados com perspectiva de outros dois anos".

Baseando-se em informações transmitidas pela sonda, os cientistas pensam que Encélado abriga água em forma líquida sob sua superfície.

Também mostrou que Titã, a maior das luas de Saturno, é agora igual à Terra teria sido no começo de sua evolução. Essa lua tem lagos, rios, canais, dunas, chuva, montanhas e possivelmente vulcões.

"Quando desenhamos a viagem original na realidade não sabíamos o que encontraríamos, especialmente em Encélado e Titã", disse Dennis Matson, cientista da Cassini no JPL.

"Esta missão ampliada responde a essas novas descobertas e nos oferece a possibilidade de buscar por mais (respostas)", acrescentou.

A sonda iniciou sua viagem rumo a Saturno no dia 15 de outubro de 1997 em uma missão na qual percorreu 3,5 bilhões de quilômetros levando consigo a sonda Huygens, que há dois anos, se desprendeu para pousar sobre a superfície de Titã.

A nave recebe eletricidade de três geradores radioisótopo termoelétricos que geram energia a partir do calor produzido pela decomposição natural de plutônio. EFE ojl/bf/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG