Washington, 5 nov (EFE).- A sonda Phoenix deixará de funcionar em breve, após reunir nos últimos cinco meses dados científicos na superfície de Marte, confirmaram hoje fontes da Nasa (agência espacial americana).

"Qualquer dia agora poderia ser o último. Trataremos de obter informação científica nos dias que nos restam", disse Garry Goldstein, diretor do Laboratório de Propulsão a Jato (JPL, na sigla em inglês) da Nasa.

A "Phoenix" transmitiu informação científica à Terra por meio dos orbitadores do planeta, que servem de enlace desde o último dia 30.

No entanto, informações recebidas durante o fim de semana indicam que sua potência se enfraquece a cada entardecer marciano, como resultado do inverno iminente sobre a zona das planícies do hemisfério norte onde a nave aterrissou em 25 de maio último.

Além disso, as tempestades de pó no planeta, que tiveram início na semana passada, cobriram parcialmente seus painéis solares, o que reduziu ainda mais sua capacidade de produzir energia.

"Isso é exatamente o que esperávamos para a etapa final da missão, embora as tempestades de pó tenham ocorrido várias semanas antes do previsto", disse Goldstein.

Apesar de terem perdido as esperanças de que a "Phoenix" sobreviva ao forte inverno marciano, os cientistas do JPL estão satisfeitos, porque a precisão inicial de vida útil era de apenas três meses.

Nesses momentos já passou de cinco meses, e até é possível que complete meio ano de trabalho, inclusive com todos os problemas que sofre, afirmaram os cientistas. EFE ojl/fr

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.