Narcotraficantes são acusados de matar ao menos 14 em Acapulco

O Estado de Guerrero, onde ocorreram os crimes, é assolado pela rivalidade entre os grupos 'La Familia' e 'Los Zetas'

AFP |

Ao menos 14 assassinatos foram "assinados" pelos cartéis das drogas desde quinta-feira à noite na região da famosa cidade turística de Acapulco, no litoral do Pacífico mexicano.

AFP
Agente da Polícia Federal mexicana encontra corpos das vítimas na região de Acapulco, Estado mexicano de Guerrero
Segundo anúncio da polícia mexicana nesta sexta-feira, os corpos de quatro homens mortos a tiros, algemados e com os olhos vendados, foram encontrados em uma estrada das praias de Acapulco, acompanhados de ameaças características entre grupos rivais.

Além disso, outros dois corpos encontrados da mesma forma estavam no estacionamento de um supermercado da grande avenida litorânea do balneário. Outros seis corpos, de homens com entre 22 e 39 anos mortos a tiros, segundo a polícia, foram encontrados em uma estrada e dois outros cadáveres estavam em uma pequena cidade próxima a Acapulco.

O Estado de Guerrero, onde fica localizada Acapulco, é assolado pela rivalidade entre o cartel "La Familia" e o grupo "Los Zetas", criada no final dos anos 90 por ex-militares das forças especiais mexicanas.

As autoridades atribuem aos "Zetas" a autoria do massacre de 72 imigrantes clandestinos do outro lado do país, em Tamaulipas , próximo à fronteira com os Estados Unidos - há suspeitas de que haja brasileiros entre as vítimas.

No México, a "guerra dos cartéis" que envolve sete grandes grupos de traficantes de drogas deixou por volta de 28 mil mortos desde a posse do presidente Felipe Calderon, em dezembro de 2006.

    Leia tudo sobre: méxicocrimetráficodrogas

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG