Cerca de 200 chilenos aguardam no Aeroporto Internacional Antônio Carlos Jobim, na zona Norte do Rio, informações sobre os próximos voos que partirão para o Chile.


Diversas pessoas estão deitadas no chão dos saguões com cobertores e outras chegam a se abrigar em barracas de camping. Alguns chilenos tentam embarcar para seu país desde sábado.

André Durão
Chilenos acampam no aeroporto do Rio

Chilenos acampam no aeroporto do Rio

Essa situação é muito humilhante. Não estão levando em consideração a nossa dor e sofrimento. Não sabemos como estão nossas famílias, disse a assistente social Ana Maria Olivares, que retornaria a seu país em um voo da TAM. Também estamos passando por um terremoto, só que emocional. É um desgaste horroroso, completou ela, que veio ao Brasil a passeio e iria embora no domingo.

Revoltados, muitos chilenos espalharam cartazes pelos terminais 1 e 2 do aeroporto cobrando informações. Embaixador e cônsul, façam algo! Necessitamos estar com nossas famílias!, escreveram em um cartaz. Piñera, mande um de seus aviões!, clamaram ao presidente eleito do Chile, Sebastián Piñera, em outro.

Dizem para a gente que não podem aterrissar no Chile, que precisam de uma autorização. Isso, no entanto, é mentira! Alguns voos comerciais estão chegando lá, reclamou o administrador Humberto Inostroza. A TAM passou o número de um call center que ninguém atende, disse ele, que aguarda o embarque desde domingo.

Revolta

Enquanto os passageiros da TAM, no terminal 2, recebem água, sanduíche e uma manta à noite, os passageiros da Gol, no terminal 1, reclamam que a empresa aérea não oferece nenhum suporte. 

André Durão
Sylvia conseguiu embarcar
Sylvia conseguiu embarcar
Pegamos um pouco de alimentos com as pessoas do outro terminal, contou a veterinária Sylvia Araya. Moradora de Viña del Mar, ela está entre os 15 chilenos que embarcam, às 18h10, em um voo da Gol com destino a Guarulhos. Às 23h, eles seguem em direção ao Chile. Quando disseram que íamos embarcar hoje eu nem acreditei, afirmou. É um alívio.

Cônsul

No início da tarde desta terça-feira, o cônsul do Chile no Rio de Janeiro, Horácio Del Valle, se reuniu com dez chilenos no Aeroporto Internacional Antônio Carlos Jobim para avaliar a situação deles.

Após a reunião, Del Valle afirmou que na quarta-feira um voo partirá do Rio para o Chile, levando alguns dos chilenos que estão no aeroporto. O horário e a empresa não foram divulgados. Segundo o cônsul, terão prioridade de embarque os chilenos que estão esperando há mais tempo, além de gestantes, idosos e deficientes.

O grande problema é que os aeroportos alternativos ao de Santiago estão operando com capacidade máxima, explicou o cônsul. O governo chileno deveria ter enviado um avião da Força Aérea para levar essas pessoas, mas atualmente nosso país está destruido e a prioridade é resolver os problemas internos.


Leia também:

Leia mais sobre terremoto

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.