Não haverão conflitos no referendo do Equador segundo coordenadora da OEA

Guayaquil (Equador), 27 set (EFE).- A coordenadora da missão de observação da Organização dos Estados Americanos (OEA) da província de Guayas, no oeste do Equador, Gloria Ardaya, previu que o referendo que será realizado amanhã para aprovar ou rejeitar um projeto de Constituição não terá conflitos.

EFE |

Guayaquil, capital da província de Guaias e centro econômico do país, é o reduto da oposição que se opõe ao projeto constitucional que será votado amanhã em referendo.

"Vai haver toda a normalidade, não vai ter conflitos, e se houver serão administrativos", disse Ardaya à Agência Efe, após dizer que nessa província estarão 10 observadores da OEA acompanhados por outros 10 voluntários estrangeiros.

Guayaquil é a cidade mais povoada do país com cerca de 3 milhões de habitantes, dos quai 2,3 milhões estão habilitados para votar no referendo.

Os observadores têm a faculdade de cuidar das "irregularidades, se as houver", nas juntas, acrescentou Ardaya, dizendo que as queixas têm que ser "documentadas" para se fazer as respectivas denúncias às autoridades equatorianas. EFE jc/ma

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG