Namorado que matou gato por ciúme começa a ser julgado em NY

NOVA YORK - Teve início o julgamento de um jogador de beisebol acusado de matar brutalmente o gato de sua ex-namorada depois de reclamar que ela dava mais atenção ao felino do que a ele.

AP |

Acordo Ortográfico

A promotora Leila Kermani disse que o gato, conhecido como Norman, morreu com dentes e costelas quebrados, a língua estirada, diversos ferimentos internos nos pulmões e fígado, além da cavidade peitoral estar cheia de sangue.

"O réu, num ataque de raiva, atacou o animal indefeso até sua morte", disse Kermani ao júri na abertura do processo na quarta-feira. "O réu matou Norman simplesmente por ter ciúme, raiva e estar bêbado".

O ex-jogador de baseball do New York Mets Joseph Petcka, 37, será julgado por agressão e crueldade contra um animal por ter matado Norman no dia 27 março de 2007, depois de uma noite de bebedeira. Ele pode ser condenado a até dois anos de prisão.

O advogado de Petcka, Charles Hochbaum, reconheceu que seu cliente chutou o felino de 8 anos e "o sacudiu com força", mas disse que ele não queria matar o gato. "Isso foi um trágico acidente", disse Hochbaum. "Não foi intencional".

Hochbaum reclamou que a promotoria não chegou a oferecer um acordo a seu cliente. Fora da corte, ele disse acreditar que isso tenha sido por causa da publicidade atraída pelo caso.

A dona de Norman, Lisa Altobelli, testemunhou que namorou Petcka por seis semanas antes dele matar o seu gato. Ela disse que na noite do crime eles discutiram e ele começou a beber muito. Para evitar o confronto ela foi dormir, mas acordou por volta das 3h com ele colocando o joelho sobre sua costela e dizendo que Norman o havia atacado.

Ela deixou o apartamento depois que Petcka se recusou a se acalmar, mas não imaginava que o felino corria riscos. Segundo Altobelli, ele
reclamava: "Você ama mais esse gato do que eu". Quando voltou, o corpo de Norman estava debaixo da mesa da sala.

Petcka foi jogador de beisebol da liga pelo Mets em 1992, depois ele fez comerciais de TV e participou de programas como "Sex and the City". Hochbaum disse que seu cliente tem trabalhado como garçom ultimamente.

Leia mais sobre Nova York

    Leia tudo sobre: nova york

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG