Vida ou morte, alternativas oferecidas pelo Hamas

Clima é apenas aparentemente calmo na Faixa de Gaza

Nahum Sirotsky |

Ano vai e vem e nada de solução. Moahmed Deif é o comandante da ala militar do Hamas, a Frente de Resistência Islâmica. Nem a religião israelita nem a maometana tem Natal. A mensagem de Deif a Israel na manhã de sábado foi simplesmente a seguinte: “Vocês vão desaparecer e a Palestina continuará nossa. Não levantaremos bandeira branca”. Tem mais. Abu Obeideh, porta-voz do Hamas, que tem o domínio da Faixa de Gaza.” Estamos preparados para responder a qualquer agressão. E temos uma arma secreta que vai surpreender”, disse ele.

Em princípio existe uma espécie de armistício, que ambos os lados prometem respeitar. Mas palavras são palavras e fatos são fatos. Abu Obeideh declara que será mantido se “Israel respeitá-lo e suspender o bloqueio a que a Faixa de Gaza está submetida”, o que os israelenses dizem que não vai acontecer até terem absoluta certeza de que o Hamas respeitará acordo tácito existente.

Sem desrespeito não há como não lembrar o dia de São Nunca. Mahmoud Zahar é o principal líder do Hamas. Na sexta ele declarou que não há interesse numa escalada. Mas mísseis do Hamas continuam caindo sobre Israel, que responde com a Força Aérea, como aconteceu nas últimas 24 horas. E ambos reclamam ao Conselho de Segurança.

Até agora não houve nenhuma tragédia maior. Mas é questão de tempo. E é tudo tão perto que com uma funda daquelas que Davi usou contra Golias é possível acertar o lado oposto com uma pedra.

    Leia tudo sobre: hamasfaixa de gazaisrael

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG