Irã impõe condições para negociar programa nuclear

Parlamentar afirma que enriquecimento de urânio só para se abastecimento de combustível for garantido e sanções derrubadas

Nahum Sirotsky |

O diretor de Segurança Nacional e Política Externa do Parlamento do Irã, Alaeddin Boroujerdi, afirmou neste domingo que o país aceitaria suspender o enriquecimento de urânio a 20% se lhe fosse garantido o abastecimento de combustível para seu reator nuclear que tem fins medicinais. A declaração foi feita à agência de noticiais oficial Irna.

Outra condição para a negociação, que teria base no acordo firmado entre Irã, Brasil e Turquia em maio, é que sejam suspensas as sanções aprovadas pelo Conselho de Segurança da Organização das Nações Unidas.

O acordo em questão não foi bem recebido pelas potências ocidentais, que não confiam na disposição do Irã em negociar e acreditam que o governo do país apenas tentou adiar novas sanções, que depois foram de fato aprovadas pela maioria dos membros do Conselho de Segurança.

O objetivo das sanções são forçar o Irã a suspender seu programa nuclear até que sejam esclarecidas as dúvidas sobre sua intenção de usar urânio para produzir bombas atômicas. Os países árabes e Israel consideram o programa iraniano uma ameaça direta.

Na semana passada, o presidente do Irã, Mahmoud Ahmadinejad, declarou estar pronto para retomar as negociações em agosto, desde que o diálogo seja feito com as cinco potências com poder de veto no Conselho de Segurança, mais Turquia e Brasil.

    Leia tudo sobre: irã

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG