Eid ul-Adha, festival do fim do Hadji

Festival acontece no décimo-sexto dia do último mês do ano islâmico e marca o fim da peregrinação à Meca

Nahum Sirotsky, de Israel |

Cerca de um bilhão e 500 milhões de muçulmanos no mundo comemoram na terça-feira, 16, o Eid ul-Adha, em memória à decisão do profeta Ibrahim (Abraão do Velho Testamento) de sacrificar seu primogênito. Na tradição islâmica o primogênito foi Ismail, filho de Hagar, serviçal de Sarah, a mulher de Abraão. Na tradição judaico-cristã, como conta no Velho Testamento, foi Isaque.

O festival acontece no décimo-sexto dia do último mês do ano islâmico. Marca o fim da peregrinação à Meca, o Hadj, a última peregrinação do ano de 1431, que vai terminando. Milhões se concentram na cidade sagrada, local do nascimento de Maomé, na atual Arábia Saudita, como se vê em foto publicada pelo Último Segundo .

A versão muçulmana da história diz que Ibrahim conversou com Deus em um sonho. Alah, Deus, determinou que Ibrahim sacrificasse o que fosse para ele mais sagrado e amado. Para Ibrahim (Abrahão) foi Ismail que ele concordou em sacrificar. Ambos então partiram para Mina, local próximo de Meca, onde seria realizado o sacrifício.

O demônio apareceu e tentou Ibrahim para que ele desobedecesse a Deus. Mas Ibrahim o ignorou e colocou uma venda em seus próprios olhos para não ver mais nada do que o demônio oferecia. No sonho, ele corta a cabeça de Ismail. Mas, ao acordar, vê ao seu lado um carneiro que, ele entendeu, fora ali colocado por Deus e foi por ele sacrificado em lugar do filho.

O ul-Adha é comemorado durante quatro dias. No primeiro dia os muçulmanos vestem-se e aos filhos com o melhor que podem e procuram rezar (salat) em uma congregação numerosa. É nesse período que os muçulmanos devem sacrificar carneiros ou outros animais, que devem ser machos, adultos e saudáveis.

A carne é em grande parte compartilhada com os pobres. A data é sempre fixa no calendário islâmico, lunar, e muda no nosso calendário. Todos os que vão à Meca acrescentam aos seus nomes o título de hadji.

    Leia tudo sobre: mundointernacionalnahum sirotskymeca

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG