Braço direito de Obama vai a Israel

Líderes de ultradireita prometem protestar contra Rahm Emanuel, chefe de gabinete do presidente dos Estados Unidos

Nahum Sirotsky, de Israel |

Getty Images
Rahm Emanuel é um dos assessores mais próximos a Barack Obama
Rahm Emanuel, chefe de gabinete do presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, está chegando a Israel. Filho de israelenses que emigraram para os Estados Unidos – onde nasceu, estudou e projetou-se politicamente até chegar à atual posição – ele anunciou no ano passado que faria a viagem para que seu filho, Zach, realizasse a cerimônia de Bar Mitzva junto ao Muro das Lamentações, o lugar mais sagrado do judaísmo.

O Bar Mitzva é a cerimônia que todos os judeus cumprem aos 13 anos de idade, quando, segundo a tradição, passam a ser adultos e responsáveis por seus atos diantes de Deus. A data e a hora da festa para o filho de Rahm Emanuel não foi informada nem pela Casa Branca nem pelo governo israelense.

O motivo é conhecido e parte das complicações da vida israelense. A minoritária e agressiva ultradireita promete protestos, pois acusam Emanuel de aconselhar Obama a adotar atos pouco favoráveis ao país. Familiares de Emanuel afirmam que a cerimônia acontecerá ainda no mês de maio. Os direitistas estão empenhados em descobrir os detalhes – e criar problemas.

Há tempos circula o boato de que Rahm Emanuel iria a Israel para ser o “leva e trás” nas negociações entre israelenses e palestinos. Por sua agressividade, ele ganhou o apelido de “Rahmbo”. Talvez alguém assim seja necessário para convencer os dois lados do conflito de que chegou a hora de se entenderem. Durante a visita de Emanuel, prevê-se um encontro com Benyamin Netanyahu, o chefe de governo israelense. Ele não desperdiça tempo nem palavras.

É certo que não desistirá dos planos relativo à cerimônia para seu filho. A cerimônia se realizará sob rigorosa proteção das forças de segurança, e os líderes ultradireitistas não devem ter a simpatia da polícia. Afinal, ofender Rahm Emanuel é ofender Barack Obama.

    Leia tudo sobre: Rahm Emanueleuaisraeloriente médio

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG