Lançamento de mísseis na Faixa de Gaza gera sinal de alerta em Tel Aviv; novas casas têm quarto resistente a possíveis ataques

Acordamos nesta quinta-feira (10) no meu bairro em Tel Aviv com um sinal de alerta. Foram lançados, da Faixa de Gaza, inúmeros mísseis. O placar do dia aponta mais de 50 foguetes sobre Israel. A resposta vem por meio da força aérea. Segundo informação corrente, existe a intenção de provocar uma reação mais violenta de Israel e a partir disso, incitar reações de países árabes contra o Estado judeu.

Hoje: Israel amplia ofensiva aérea contra Hamas e número de mortos aumenta em Gaza

Crise: Conselho de Segurança da ONU faz reunião de emergência sobre Gaza

No fim da tarde, depois de vários foguetes serem destruídos pelo sistema antimísseis israelense, voltou a predominar a tranquilidade. Ignora-se, porém, por quanto tempo. Pode ser que se esteja a caminho de um novo confronto militar. 

Tudo começou com o assassinato de três adolescentes judeus que pegaram carona ao sul de Jerusalém. Era uma emboscada. Afirma-se que o Hamas, guarda chuva de várias organizações terroristas, tem conexão com o Estado Islâmico do Iraque e do Levante (EIIL) , que pretende impor o Califato no mundo árabe a começar pelo Iraque. O califa equivale a um monarca.

Caminhando pelas ruas de Tel Aviv, o ambiente é tranquilo. Tudo funciona. A mídia dedica mais espaço à derrota brasileira na Copa do que às confusões internas.

A maioria das novas habitações em Israel conta com um quarto protegido resistente à ataques de mísseis. As antigas, como a minha, dependem de abrigos anti aéreos. Então, o que pude fazer diante dos alarmes foi ouvir música e esperar a sorte. Ninguém aposta no dia de amanhã.

Terça: Israel aumenta ataques contra Gaza e diz estar pronto para escalada do conflito

O Hamas conta com vasto depósito de misseis, contrabandeados via Sinai, que pode atingir qualquer lugar de Israel. Assim é a vida em um país com mais de 8 milhões de habitantes, 1 milhão e meio deles, árabes.

As próximas horas vão dizer se o empenho das grandes nações por um cessar fogo será bem sucedido ou se novos mísseis cairão por aí. O que se sente nos alertas é um frio muito grande no estômago, mas o medo nada resolve. É ficar tranquilo e esperar.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.