Tóquio, 9 ago (EFE).- O prefeito de Nagasaki reivindicou hoje um futuro sem armas nucleares durante uma cerimônia que lembrou nessa cidade do oeste do Japão o 63º aniversário do lançamento da segunda bomba atômica dos EUA no final da Segunda Guerra Mundial.

Segundo informou a agência local "Kyodo", o regedor, Tomihisa Taue, leu um manifesto pela paz na qual pediu a eliminação dessas armas e lembrou que o ex-secretário americano de Estado Henry Kissinger pediu sua redução paulatina até chegar a sua abolição total.

Na cerimônia participaram cerca de 5.400 pessoas, entre elas o primeiro-ministro japonês, Yasuo Fukuda, logo depois de retornar ao Japão após sua viagem relâmpago à China, para assistir a inauguração dos Jogos Olímpicos de Pequim.

Como já fez na cerimônia que há três dias lembrou em Hiroshima o lançamento da primeira bomba atômica, Fukuda destacou hoje que seu país continua apoiando os princípios de não fabricar, não possuir e não permitir armas nucleares.

A cerimônia foi celebrada no parque da Paz, onde todos os presentes guardaram um minuto de silêncio às 11h02 (23h02 de Brasília da sexta-feira), hora na qual explodiu a bomba sobre o céu da cidade de Nagasaki, destacado porto comercial do Japão.

Este ano, como é habitual, foram acrescentados mais nomes à lista de vítimas da bomba em Nagasaki, os de 3.058 pessoas mais, o que deixa o número total de pessoas mortas nesta cidade japonesa em 145.984, frente a 258.310 em Hiroshima. EFE psh/ma

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.