Não há nenhuma evidência que respalde a reivindicação por parte do grupo talibã paquistanês Tarik-e-Taliban do atentado frustrado na Times Square de Nova York, informou o chefe da polícia Raymond Kelly neste domingo." /

Não há nenhuma evidência que respalde a reivindicação por parte do grupo talibã paquistanês Tarik-e-Taliban do atentado frustrado na Times Square de Nova York, informou o chefe da polícia Raymond Kelly neste domingo." /

Nada confirma autoria de atentado por grupo talibã (polícia)

Não há nenhuma evidência que respalde a reivindicação por parte do grupo talibã paquistanês Tarik-e-Taliban do atentado frustrado na Times Square de Nova York, informou o chefe da polícia Raymond Kelly neste domingo.

AFP |

Não há nenhuma evidência que respalde a reivindicação por parte do grupo talibã paquistanês Tarik-e-Taliban do atentado frustrado na Times Square de Nova York, informou o chefe da polícia Raymond Kelly neste domingo.

"Ainda que um fabricante de bombas talibã tenha se responsabilizado na Internet, não há evidências para respaldar esta versão", disse Kelly aos jornalistas.

Em um vídeo divulgado na Internet, o grupo talibã assume a responsibilidade pelo carro-bomba estacionado na Times Square, segundo o serviço SITE de monitoramento das redes extremistas na Web.

Introduzido no YouTube, o vídeo afirma que o atentado foi realizado em represália à morte recente de dois líderes da Al-Qaeda no Iraque e aos ataques de aviões sem piloto (drone) no Paquistão.

A polícia de Nova York evitou o atentado na noite de sábado ao desativar o carro-bomba estacionado próximo ao teatro onde é apresentado o musical "O Rei Leão", na Times Square.

Os agentes, avisados da presença de um veículo suspeito, chegaram imediatamente ao local, fechando os acessos e retirando milhares de pessoas, antes de desativar a bomba.

Os investigadores analisam no momento dezenas de vídeos e impressões digitais tiradas do carro, que continha três bujões de propano, dois galões de gasolina, cabos elétricos e fogos de artíficio.

ao/ma/LR

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG