Nações Unidas se preocupam com tensão interna no Líbano

Secretário-geral da ONU alerta para conflitos com milícias ligadas a partidos políticos como o Hezbollah

Nahum Sirotsky, de Israel |

O secretário-geral das Nações Unidas, Ban Ki-moon, tem se preocupado com possível o aumento da tensão interna no Líbano. De acordo com declaração do secretário-geral da ONU, apenas forças do Estado têm o direito de andar armadas, e milícias existentes devem entregar suas armas.

No Líbano, a força do Hezbollah é superior à das Forças Armadas libanesas. Estima-se que o grupo e partido político tenha um braço armado de cerca de 10 mil homens bem treinados.

Para o secretário-geral da ONU, apenas por meios políticos será possível desarmar o Hezbollah e milícias de partidos. Ele alertou ainda para a possibilidade de um novo choque civil no Líbano, cuja guerra civil acabou em 1990.

Segundo reportagem do jornal parisiense Le Fígaro, além dos 10 mil homens, o Hezbollah possui 40 mil mísseis em seus arsenais. Com alcance de 240 km, os mísseis estariam distribuídos, em alguns locais, a cerca de 150 km de Israel.

    Leia tudo sobre: líbanohezbollahoriente médio

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG