Nações nucleares dão sinal verde para acordo EUA-Índia

Um grupo de 45 nações que regula o comércio nuclear aprovou uma proposta dos Estados Unidos para suspender as restrições globais para a venda de tecnologia nuclear civil à Índia. A decisão do chamado Grupo de Fornecedores Nucleares (NSG, na sigla em inglês) foi tomada depois de quase três dias de negociações na capital da Áustria, Viena.

BBC Brasil |

O acordo entre os Estados Unidos e a Índia causou controvérsia pois a Índia tem capacidade de produzir bombas atômicas e não é signatária do Tratado de Não-Proliferação Nuclear (NPT, na sigla em inglês).

O sinal verde do NSG só veio depois que a Índia se comprometeu formalmente à não proliferação nuclear e a uma moratória voluntária de testes nucleares.

O acordo, que recebeu forte apoio do governo do presidente George W. Bush, ainda precisa ser ratificado pelo Congresso dos Estados Unidos antes de ser implementado.

Irã
A Índia diz que o tratado é vital para que ela atenda a sua demanda energética. Os Estados Unidos, por sua vez, argumentam que o acordo vai ajudar a Índia a combater o aquecimento global, ao permitir que o país desenvolva mais o seu uso de tecnologia nuclear, que é menos poluente do que fontes energéticas tradicionais.

Críticos da iniciativa afirmam, contudo, que ele cria um precedente perigoso porque permite que a Índia tenha acesso à importação legal de combustíveis e tecnologia nucleares sem precisar assinar o NPT. O acordo pode também minar argumentos para isolar o Irã por causa de seu programa nuclear.

Os Estados Unidos impuseram restrições à cooperação nuclear com a Índia logo depois que o país testou uma bomba nuclear em 1974.

O convênio faz parte dos esforços americanos para reforçar seus laços com a Índia, considerada um aliado democrático privilegiado em uma região instável.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG