Na venda de souvenirs, Obama sai na frente de McCain

Jorge A. Bañales Washington, 3 ago (EFE).

EFE |

- A intensidade da campanha eleitoral para a Presidência dos Estados Unidos disparou a oferta na internet de souvenirs, autógrafos e relíquias dos candidatos, embora, como ocorre também com a política, alguns tenham despertado mais interesse que outros.

Na venda livre e desrespeitosa de souvenirs, o candidato democrata Barack Obama conta, por enquanto, com uma maior variedade de artigos na Internet, que são vendidos em termos gerais a um preço mais elevado do que os de McCain, como pode ser observado nos sites de vendas e leilões on-line.

Esse comércio é feito paralelamente à venda de artigos oficiais aprovados pelas respectivas equipes de campanha, e conta com produtos típicos como camisetas, bonés, bandeiras e insígnias que são vendidas em lojas em todo os EUA.

Na compra destes produtos, também há um espaço para a especulação: quanto valerá no futuro uma foto assinada por Obama se ele se tornar o primeiro presidente negro dos EUA? Para quanto subirá o preço de um livro com a assinatura de McCain caso o republicano seja eleito? Na semana passada, a obra do artista Shepard Fairey de 115 centímetros por 175 centímetros, em cartolina e com a inscrição "Obama Hope", foi leiloada por US$ 189 mil.

As cópias assinadas de "Obama Hope" são cotadas agora na internet por cerca de US$ 2 mil, e Fairey doou uma versão à fundação Russell Simmons de Arte para a Vida para um leilão beneficente.

Antes que fosse aberto o leilão, os cálculos de oferta giravam em torno de US$ 30 e US$ 50, mas a disputa foi tão intensa pela internet que foi necessário estender o período de leilão. Os fundos vão para a fundação educativa, mas não se informou quem comprou a obra.

O artigo relacionado ao senador republicano pelo Arizona que pode alcançar a cotação mais alta nos leilões cibernéticos é uma bola de beisebol, que tem o autógrafo em caneta de McCain, e que foi usado na abertura de um jogo de beisebol este ano no estado de Rhode Island.

Outro vendedor cibernético também já alcançou ofertas de US$ 400 por outra bola de beisebol que, segundo ele, tem o autógrafo de McCain. E embora sejam mostradas fotos do produto assinado, o vendedor diz que "infelizmente a foto que tirou de McCain durante a entrevista coletiva" foi estragada.

Pelo menos na venda deste tipo de souvenir, McCain está melhor cotado que Obama. As bolas de beisebol que, segundo os vendedores, têm a assinatura do senador de Illinois são cotadas entre US$ 70 e US$ 90. E as que são oferecidas por um preço inicial de US$ 399 ainda não recebeu lances.

Alguns otimistas fixaram preços base de aproximadamente US$ 1.500 para livros e fotografias que têm o autógrafo de McCain.

Dois livros que têm o autógrafo de Obama já são cotados por aproximadamente US$ 400.

Mas além dos tradicionais produtos, também são vendidos alguns itens um tanto incomuns. Nem as camisinhas conseguiram escapar da corrida presidencial. Nesse caso, os dois candidatos estão em pé de igualdade, os modelos McCain e Obama são vendidos por US$ 9,95 por par e taxados pelos fabricantes como "mais seguros que o serviço secreto".

Mas o senador por Illinois está bem a frente do candidato republicano quanto a variedade de produtos. Só são oferecidos fotos, livros e bolas de beisebol do senador de 76 anos de idade.

Já do candidato democrata à Casa Branca, de 46 anos de idade, também são vendidas camisetas, luvas de beisebol, bolas de futebol, um chapéu de cowboy, revistas, azulejos, e até, por US$ 92, um desenho atribuído a Obama que mostra um rosto sorridente e a assinatura do político. EFE jab/bm/rr

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG