Na Rússia, entidade de direitos humanos denuncia morte de ativista

Moscou, 22 jul (EFE).- A organização russa de direitos humanos Spravedlivost denunciou hoje o assassinato do dirigente de uma de seus filiais.

EFE |

Segundo a entidade, Andrei Kulaguin desapareceu há dois meses na região de Karelia.

"O corpo sem vida de Andrei Kulaguin foi achado em uma pedreira nos arredores da cidade de Petrozavodsk. Não há dúvidas de que nosso dirigente regional tenha sido assassinado", disse o presidente da Spravedlivost, Andrei Stolbunov, à agência "Interfax".

Stolbunov explicou que o ativista desapareceu em 14 de maio após ser chamado em uma cafeteria da cidade de Petrozavodsk.

"Provavelmente, nosso ativista foi chamado por alguém que conhecia. Desta forma, não percebeu nenhuma fonte de ameaça", disse.

O presidente da entidade ainda explicou que parentes de Kulaguin comunicaram o desaparecimento à Polícia, embora o Governo regional de Petrozavodsk não tenha confirmado este fato à "Interfax".

Segundo Stolbunov, o dirigente defendia um tratamento mais humano nas prisões russas e era membro da comissão de controle social das instituições penitenciárias em Karelia. EFE se/plc

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG