Na Índia, 11 pessoas são queimadas vivas em ataques

Entre as vítimas de dois ataques estão cinco crianças e um adolescente

EFE |

Onze pessoas foram queimadas vivas, entre elas cinco crianças e um adolescente, em dois ataques registrados na sexta-feira no norte da Índia, segundo informaram nas últimas horas diferentes fontes oficiais.

O ataque de maior proporção ocorreu no povoado de Digahi, no Estado de Uttar Pradesh, onde dez pessoas, entre elas cinco crianças, morreram queimadas depois que um grupo ateou fogo em sua casa, de acordo com uma fonte policial.

Segundo o diretor-geral de polícia Brij Lal, as vítimas pertenciam a duas famílias da casta brahmânica - a mais alta do sistema hindu - que mantinham uma velha disputa com os agressores, uma família da casta takur, por conta de terras agrícolas.

"O ataque foi provocado pelo assassinato, horas antes, do patriarca takur, Dina Nath Singh", afirmou Lal em declarações publicadas pela agência indiana "Ians". Embora a polícia tenha detido rapidamente cinco membros das famílias brahmânicas, supostamente responsáveis pelo assassinato, a família rival cercou sua casa, a atacou a pedradas e bloqueou todas as saídas antes de atear fogo.

"Os únicos sobreviventes da família são os que haviam sido detidos pelo assassinato, que foram transferidos para uma delegacia de polícia a 15 quilômetros do local", disse Lal.

A polícia desdobrou um numeroso contingente no povoado de Digahi, onde 40 pessoas foram detidas por sua participação no incêndio. O outro ataque criminoso ocorreu também na sexta-feira na região de Uttar, onde um empregador queimou vivo um adolescente de 15 anos por achar que o jovem roubara suas ervilhas.

O patrão do adolescente, identificado como Pradeep Kumar, contou com a ajuda de outros de seus empregados, mas, segundo a polícia, os assassinos fugiram.

    Leia tudo sobre: índiacasta

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG