O papa Bento 16 se encontrou nesta segunda-feira na Austrália (domingo em Brasília) com um grupo de pessoas que sofreram abusos sexuais por membros do clero da Igreja Católica quando eram crianças, segundo informações divulgadas pelo Vaticano. Em relação aos abusos por membros do clérigo, Sua Santidade Papa Bento 16 na manhã de segunda-feira celebrou missa com um grupo de representantes de vítimas do abuso sexual, informou o porta-voz papal, Frederico Lombardi.

O pontífice se encontrou com dois homens e duas mulheres que foram vítimas de abuso sexual na Capela St Mary, em Sydney, dois dias depois de ter pedido desculpas aos australianos pelos abusos sexuais cometidos por clérigos. Na ocasião, Bento 16 disse que os responsáveis "devem ser levados à Justiça".

"O papa ouviu as suas histórias e os consolou", disse o porta-voz. "Ele lhes assegurou da sua proximidade espiritual e propôs continuar a rezar por eles, por suas famílias e por todas as vítimas."
Depois da missa ele falou com cada uma das vítimas em uma atmosfera de "respeito, espiritualidade e intensas emoções", segundo o porta-voz.

Mas o principal grupo de apoio às vítimas, Broken Rites, que havia pedido que o papa se encontrassem com algumas vítimas, disse não ter sido consultado sobre os encontros do Papa, informa o correspondente da BBc em Sydney, Nick Bryant.

O porta-voz do grupo, Chris MacIsaac, disse que, para o Broken Rites, o gesto do papa "não mostrou reconciliação".

Algumas vítimas de abuso sexual por clérigos acusam a Igreja Católica de tentar abafar casos.

O encontro encerrou uma visita de nove dias do papa à Austrália, que viajou ao país para participar da Jornada Mundial da Juventude, um dos mais importantes eventos dirigido aos jovens organizado pela Igreja Católica.

Mais de 200 mil jovens compareceram à missa final do evento.

Durante a visita, o papa criticou o secularismo e o consumismo das sociedades modernas e, em uma reunião com líderes de outras religiões, pediu a união de todas as religiões contra o terrorismo e pela resolução pacífica dos conflitos no mundo.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.