Na Alemanha Oriental, Merkel sonhava em viajar

Berlim, 1 fev (EFE).- Nascida e criada na antiga Alemanha Oriental, a chanceler alemã, Angela Merkel, admitiu que, antes da queda do Muro de Berlim, sonhava em poder viajar depois de aposentar, mas havia se resignado a que suas metas estivessem restritas ao espaço dos países socialistas.

EFE |

"Estava conformada a que meu deslocamento não saísse dos limites dos países socialistas", disse Merkel, filha de um pastor luterano, à revista "Super Iliu".

Quando caiu o muro de Berlim, Merkel tinha 35 anos e trabalhava como física no Instituto Central de Físico-Química da Academia de Ciências da Alemanha Oriental.

"Eu me alegrava muito quando havia congressos aos quais assistiam colegas dos EUA e de outros países ocidentais", disse Merkel.

Embora tenha afirmando que sempre acreditara na reunificação da Alemanha, admitiu que não tinha certeza que esta chegaria durante sua vida.

Quando, em 9 de novembro de 1989, caiu o muro de Berlim, Merkel tinha certeza de que não haveria nenhuma solução de dois Estados mas a reunificação acabou acontecendo em menos de um ano, em 3 de outubro de 1990.

Merkel entrou na política nos últimos meses da Alemanha Oriental, como porta-voz de seu último primeiro-ministro, o democrata-cristão Lothar de Maiziere -já após a queda do comunismo-, e depois, após da reunificação, Helmut Kohl integrou-a em sua equipe de Governo, primeiro como ministra para Assuntos da Mulher, entre 1990 e 1994, e depois como ministra de Meio ambiente, entre 1994 e 1998. EFE rz/jp

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG