O Museu de História Natural de Londres apresentou nesta terça-feira um novo edifício para abrigar suas coleções, o ultramoderno centro Darwin, que tem um casulo gigante para que os visitantes possam descobrir o trabalho dos cientistas.

Ao lado do amplo museu em estilo vitoriano, o estúdio de arquitetos dinamarquês CF Moller construiu uma ala moderna destinada a garantir uma melhor conservação das ricas coleções, além de facilitar o trabalho dos cientistas e a interação com o público.

O "casulo" branco de oito andares de altura, peça mestra do edíficio, será a nova casa de 17 milhões de insetos e três milhões de plantas, entre as 70 milhões de espécies mantidas pelo museu londrino.

O Museu de História Natural, cujas atrações mais populares são a galeria dos dinossauros e um calamare gigante de 8,2 metros de cumprimento, possui coleções históricas reunidas durante as viagens do naturalista Charles Darwin e do célebre explorador James Cook.

"Este casulo é, em parte, uma metáfora do que faz o museu, o casulo protege a coleção em seu interior e também é um ponto de referência de um objeto da história natural", explicou o diretor do museu, Michael Dixon.

O novo prédio, que custou 78 milhões de libras (129 milhões de dólares), abrirá suas portas ao público no dia 15 de setembro.

lgo/ap

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.