Museu de História Natural de Londres celebra Darwin, o sábio e o homem

O Museu de História Natural de Londres homenageia, a partir desta sexta-feira, o naturalista inglês Charles Darwin, com uma exposição que retrata sua trajetória intelectual até chegar à Teoria da Evolução e ajuda a conhecer melhor o homem por trás do cientista.

AFP |

A exposição, que ficará aberta até 19 de abril de 2009, faz parte dos eventos previstos para o bicentenário do nascimento de Darwin, em fevereiro de 2009, e para o 150º aniversário, em novembro do ano que vem, da publicação de sua maior obra - "A origem das espécies e a seleção natural".

A mostra começa com a apresentação de organismos e de fósseis coletados por Darwin (1809-1882) ao longo de sua viagem no navio "HMS Beagle", que o levou da Austrália para a América do Sul, entre 1831 e 1836, e que foi determinante para sua vocação.

Dois especimens de aves tordo-dos-remédios, que estão na origem da reflexão de Darwin, exibem-se na entrada. Esses pássaros foram coletados pelo próprio naturalista em duas ilhas de Galápagos. Suas diferenças pouco perceptíveis levaram-no a se questionar sobre a continuidade das espécies.

Uma iguana verde, viva, parecida com as que Darwin viu durante sua viagem, coexiste com reproduções dos animais que ele encontrou, como preguiças, emas e tatus, e com fósseis coletados pessoalmente pelo naturalista.

Foi com base nessas observações feitas no "Beagle" que Darwin concebeu a teoria de que as espécies vivas provêm de um ancestral comum, ou de um pequeno número de ancestrais comuns, e evoluíram no tempo, graças ao processo de "seleção natural".

Com inúmeras correspondências, fotos e objetos pessoais, também há na exposição espaço grande para a vida pessoal de Darwin, casado com sua prima Emma Wedgwood e pai de dez filhos. O escritório de sua casa no Kent, sul da Inglaterra, onde ele escreveu "A origem das espécies", foi reconstituído.

A exposição termina, mostrando como a Teoria da Evolução foi refinada pelas diversas descobertas em matéria de Paleontologia, Genética, ou Biologia Molecular. Lembra ainda que, em 150 anos, essa teoria "não foi seriamente contestada por nenhuma outra explicação científica".

cyb/tt

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG