Compartilhado milhões de vezes, vídeo pode ser ouvido de diferentes formas até pela mesma pessoa; faça teste e entenda como funciona a ilusão sonora

É 'Brainstorm' ou 'Green Needle'? Brinquedo é responsável por ilusão sonora do momento e especialista explica o caso
Reprodução
É 'Brainstorm' ou 'Green Needle'? Brinquedo é responsável por ilusão sonora do momento e especialista explica o caso


Depois da polêmica "Yanny x Laurel" , um novo áudio está confundido a cabeça de muitos internautas. Diferente da primeira ilusão sonora, onde algumas pessoas ouviam 'Yanny' e outras pessoas escutavam 'Laurel' em um arquivo de som, o novo fenômeno da internet pode ser ouvido de formas diferentes pela mesma pessoa – dependendo da sua própria vontade.

Postado originalmente no canal  DosmRider , no YouTube, o vídeo de apenas quatro segundos mostra um brinquedo eletrônico acendendo enquanto diz alguma coisa. A ilusão sonora começa aí: para muitos internautas, a figura está dizendo 'green needle' e para outros, 'brainstorm'.

No entanto, a maioria das pessoas consegue ouvir as duas possibilidades ao se concentrar nas palavras. Veja o vídeo e tente ouvir 'brainstorm' e 'green needle':


Muitos usuários apontaram que conseguiam ouvir outras coisas no vídeo: 'greenstorm', 'brain needle', 'green room' e 'reinstall' foram algumas das possibilidades levantadas nos comentários do vídeo.

Mas o que o brinquedo está dizendo, afinal? A grande diferença entre esta ilusão com o áudio de ' Yanny ' x ' Laurel ', é que existe uma resposta definitivamente correta para o que o brinquedo está dizendo.

Afinal, a figura em questão faz parte de uma coleção baseada no desenho "Ben 10". O nome do personagem? Brainstorm – ou seja, essa é a resposta correta.

Como essa ilusão sonora funciona?

Diferentemente do áudio 'Yanny' x 'Laurel', que contém as duas palavras sobrepostas e foi alterado por computadores, a ilusão em questão não tem qualquer mudança e não pode ser explicada pelo comportamento das ondas sonoras, mas pelo nosso cérebro.

Leia também: Corpo de jovem morto com tiro é usado como 'enfeite' em funerária dos EUA

Formado em psicologia pela universidade de Duke e conhecido por ser um dos youtubers mais influentes da atualidade – tendo somados 16 milhões de inscritos em seus canais Film Theory e Game Theory –,  o norte-americano Matthew Patrick produziu um vídeo explicando o por quê do nosso cérebro conseguir "alterar" o áudio conforme a própria vontade.

O primeiro conceito explorado por Patrick foi o Efeito McGurk , que acontece quando um estímulo visual faz com que nosso cérebro pense estar ouvindo um fonema, quando na verdade estamos ouvindo outro. De acordo com Patrick, o fato do brinquedo piscar três vezes faz com que as pessoas esperem uma palavra de três sílabas. Como 'brainstorm' tem apenas duas sílabas, nossa mente tenta encaixar um fonema parecido.

O fenômeno de percepção multiestável também é apontado como um dos fatores para a ambiguidade de áudio. Ele é muito utlizado em ilusões de ótica, como na famosa  ilusão da bailarina,  onde o interlocutor pode "mudar" a direção para qual a dançarina está rodando de acordo com sua vontade.

A percepção multiestável faz com que nosso cérebro, programado para encontrar padrões, 'aceite' diferentes interpretações para uma imagem ou áudio ao se deparar com algo considerado imprevisível.

Outro conceito utilizado pelo youtuber para abordar o fenômeno é o de "priming" ou pré-ativação. Bastante usada no marketing, a técnica consiste em estimular o cérebro, de maneira direta ou indireta, a pensar em determinado assunto.

Leia também: Mistério de 'fantasma espião' em hotel que viralizou na internet é desvendado

Segundo Patrick, se os fonemas ' brainstorm ' e ' green needle ' não estivessem escritos no título do vídeo, levando as pessoas a tentarem ouví-los, a maioria dos internaturas teria interpretações diferentes. Tudo isso, somado a qualidade ruim do áudio, mostra como a fala do vídeo pode ser interpretado de diferentes maneiras.

Confira o vídeo de Patrick (em inglês) explicando ilusão sonora :


    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.