Medida foi tomada depois de Jonathan Garner ter sido condenado a seis anos de prisão por perseguir uma mulher; ele deve seguir a ordem por 5 anos

Jonathan Garner, de 24 anos foi preso por perseguição e deve avisar a polícia quando quer fazer sexo por cinco anos
Reprodução/Metro.co.uk
Jonathan Garner, de 24 anos foi preso por perseguição e deve avisar a polícia quando quer fazer sexo por cinco anos

Já pensou ter que avisar a polícia toda vez que ficar ‘animadinho’? Isso não só é possível como já ocorre com um homem na Inglaterra. Jonathan Garner deve acionar a polícia de Humberside, cidade onde vive, sempre que começar a se envolver amorosamente com alguém ou mesmo quando tiver intenção de fazer sexo.

Leia também: Alemã é acusada de guardar bebês mortos no congelador de sua casa

A medida foi tomada depois de o jovem de 24 anos ter sido considerado culpado por perseguição. Ele passou seis meses na cadeia e recebeu a Ordem de Comportamento Criminal de cinco anos, após um julgamento no último 19 de dezembro. Atualmente, além de ter que avisar quando tem vontade de fazer sexo , ele deve seguir uma ordem de restrição que o impede de entrar em contato com a vítima que assediou anteriormente. 

A Corte Hull Magistrates alega, segundo o jornal Metro, que o rapaz invadiu a casa da vítima diversas vezes, chegando a ameaçá-la. "O réu é obrigado a informar à estação de polícia local o endereço de onde está residindo", impôs a corte.   

O homem também deve detalhar à polícia o nome da pessoa com que está se relacionando em até 14 dias, e caso volte a assediar alguém em East Riding ao longo desses cinco anos determinados, voltará para a prisão.

Leia também: Homem tenta pular catraca, fica com pênis preso e é socorrido por guardas

Yorkshire

Em 2016, também na Inglaterra, um homem também foi proibido de ter relações sexuais com uma mulher, a não ser que entrasse em contato com a polícia 24 horas antes do ato . Com identidade preservada por razões legais, ele passou a fornecer à polícia de North Yorkshire os dados sobre a pessoa com que pretendia ter relações.

Os policiais ainda controlaram o uso da internet e de dispositivos utilizados pelo rapaz, para que pudessem monitorar e ‘supervisionar’ seu contato com outras pessoas. A decisão foi determinada após a polícia receber uma ordem de restrição sexual aprovada por um magistrado de North Yorkshire.

Leia também: Homem pega fogo e especialistas falam em 'combustão espontânea'; veja casos

Vale mencionar que esses tipos de medidas, que restringem  interação e sexo, são normalmente dadas quando a polícia inglesa sente necessidade de proteger as vítimas e os demais cidadãos de crimes ligados a pedofilia e estupros.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.