Roubadas do Museu de Arte de Nova York, conhecido como MoMA, em outubro, as fotografias foram devolvidas pelo correio por mulher 'misteriosa'

As duas fotos roubadas do Museu de Arte Moderna (MoMA) de Nova York foram devolvidas à instituição pelo correio
Reprodução/DCPI
As duas fotos roubadas do Museu de Arte Moderna (MoMA) de Nova York foram devolvidas à instituição pelo correio


O Departamento de Polícia de Nova York (NYPD) está investigando um caso um tanto quanto peculiar. De acordo com o canal CBS , um par de fotos do MoMA (Museu de Arte Moderna) foi roubado no final de outubro e misteriosamente devolvido algum tempo depois pelo correio. Agora, os policiais investigam quem possa ter feito isso e também querem conversar com a mulher que foi flagrada por câmeras de segurança postando as fotos ao endereço do museu.

Leia também: Trump de cera era presente chinês, mas virou meme; veja mais réplicas do magnata

O par de fotos foi roubado do Anexo PS1 do MoMA, no bairro do Queens, em Long Island. Valendo cerca de R$ 350 mil, a ausência das duas imagens foi notada no dia 30 de outubro. O paradeiro das obras, no entanto, não durou muito. Naquela sexta-feira, os funcionários do museu disseram às autoridades que as fotografias foram devolvidas, pelo correio, para a instituição.

Publicada neste domingo (12), a reportagem da CBS conta que, agora, a polícia está buscando uma mulher que pode estar conectada ao ladrão das fotografias. As suspeitas estão baseadas em imagens de câmeras de segurança, que mostram a mulher enviando tais itens em uma loja dos correios no Brooklyn, também em Nova York.

Leia também: Sob o efeito de álcool e maconha, casal pelado tenta assediar babá adolescente

Hipóteses para o quebra-cabeça

“Talvez eles ficaram muito apaixonados pela arte e quiseram tê-la para si. E talvez eles mudaram de ideia e decidiram mandá-la de volta pelo correio”, sugeriu Kelvi Diaz, um dos patronos do MoMA.

Por outro lado, a artista Jenny Morgan aposta que o ladrão nunca quis ficar com as imagens. “Eu acho que isto foi a reação artística de alguma pessoa”, explicou. Assim, o roubo seria ‘apenas’ uma espécie de performance de arte.

Até agora, não se sabe se a mulher da câmera de segurança é a responsável pelos roubos. Isso porque o museu não possui um sistema de monitoramento. “Eu estou chocado que eles não possuam um [sistema de vigilância]. Porque o fato de que alguém entrou aqui para roubar fotografias é o suficiente para constatar que a segurança deveria ser melhor”, declarou a patrona Natalie Brade.

Leia também: Trem percorre 13 quilômetros sem condutor na Índia e é parado por motoqueiro

A mulher que devolveu as fotos é descrita como branca, com aproximadamente 20 anos de idade. Foi vista pela última vez vestindo um boné escuro, óculos, um casaco preto e calças e sapatos da cor cáqui.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.