Com uma mesa na calçada, Zeng – que não tem qualquer licença veterinária – cobrava entre US$ 8 e US$ 12 para realizar a 'cirurgia' improvisada nos pets

Zeng instalou uma 'clínica veterinária' improvisada para calar os cachorros mais barulhentos do bairro, na China
Reprodução
Zeng instalou uma 'clínica veterinária' improvisada para calar os cachorros mais barulhentos do bairro, na China

Um chinês está sendo investigado pela polícia por supostamente ter se oferecido para cortar as cordas vocais dos "cachorros mais barulhentos" de um bairro da província de Sichuan, na China .

Leia também: Ursos organizam a primeira "greve de selfies" nos Estados Unidos; entenda

Segundo a investigação anunciada nesta segunda-feira (18), o acusado – conhecido como Zeng – instalou uma "clínica veterinária" improvisada em sua rua para realizar cirurgias nos cachorros mais barulhentos da vizinhança.

Em um procedimento que demorava cerca de cinco minutos, Zeng cobrava entre US$ 8 e US$ 12 pelo serviço, dependendo do tamanho do animal. A cirurgia consistia no corte das cordas vocais dos animais, em cima de uma mesa instalada na calçada.

De acordo com veterinários especializados, o procedimento cirúrgico mais apropriado para diminuir o latido de um cachorro consiste na redução das cordas vocais do animal, mas sem a remoção total delas.

Leia também: Mulher é presa por usar dinheiro público para comprar smoking para seu cachorro

Em alguns países, o procedimento de redução das cordas vocais já é ilegal. Em outras nações, porém, é possível que o corte das cordas vocais seja feito até mesmo com o aval do governo local. De qualquer forma, a clínica improvisada faz de Zeng um criminoso na China.

Investigação e vídeo viral

A investigação do caso foi anunciada apenas nesta segunda, mas ocorre há dias. Ela teve início após algumas notícias sobre o procedimento serem publicadas nos principais veículos de comunicação da cidade.

Além disso, um vídeo da dada "cirurgia" também circula nas redes sociais e vem causando revolta entre os ativistas dos direitos dos animais.

Zeng – que não tem licença veterinária e não anestesiava os animais – não trocava e nem limpava a tesoura que utilizava para cortar as cordas vocais dos cachorrosSegundo as autoridades, a tal "clínica" improvisada foi fechada.

Ainda de acordo com as informações divulgadas nesta segunda, os clientes de Zeng contaram à polícia que procuravam pelo serviço do suspeito, pois eram donos dos cachorros mais barulhentos do bairro e os animais incomodavam os vizinhos.

Leia também: Fantasiado de panda, homem invade loja e rouba arma de airsoft nos EUA

* Com informações da Agência Ansa.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.