No apartamento do acusado, foram encontradas roupas infantis, lápis de colorir e uma boneca, além de remédios, lubrificantes e brinquedos sexuais

Polícia encontrou malas cheias de roupas infantis, lápis de colorir, uma boneca e um amplo estoque de brinquedos sexuais
Reprodução/Daily Mail
Polícia encontrou malas cheias de roupas infantis, lápis de colorir, uma boneca e um amplo estoque de brinquedos sexuais

Um médico britânico de 69 anos foi preso na última quinta-feira (27), no Camboja, sob a acusação de ter mantido relações sexuais com quatro meninas com idade entre 12 e 15 anos. O crime foi cometido por meio de um esquema de prostituição infantil.

Leia também: Professor de canto é proibido de exercer profissão após abuso a aluna de 14 anos

Após cumprir o mandado de prisão do acusado, a polícia foi até o apartamento dele, onde encontrou malas cheias de roupas infantis, lápis de colorir e uma boneca, além de um amplo estoque de remédios para disfunção erétil, lubrificantes e brinquedos sexuais .

O britânico Clive Cressy foi preso enquanto tomava café da manhã em um restaurante na cidade de Phnom Penh, capital do país. A prisão ocorreu na última quinta-feira, mas a acusação formal contra o médico só aconteceu nesta terça (3). Ele não tentou fugir dos policiais.

Prostituição infantil

O britânico Clive Cressy foi preso enquanto tomava café da manhã na cidade de Phnom Penh, capital do país
Reprodução/Daily Mail
O britânico Clive Cressy foi preso enquanto tomava café da manhã na cidade de Phnom Penh, capital do país

De acordo com as investigações da polícia do Camboja, o acusado desembolsou cerca de 2.300 libras (o equivalente a R$ 9.400) para abusar das crianças.

Segundo o acusado, o pagamento teria sido feito a uma vietnamita chamada Chea Sokthy, de 27 anos, que se apresentava socialmente como namorada do britânico.

Leia também: Grande oferta: pênis de marfim do século XIX vai a leilão na Irlanda

Na realidade, Chea era quem disponibilizava as meninas virgens para o médico e, possivelmente, para outros clientes. Ela também foi presa.

De acordo com a publicação britânica Daily Mail , o médico começou a ser investigado há alguns meses, após a polícia cambojana receber queixas das mães das crianças, que suspeitavam de abuso.

Tanto o cliente britânico quanto a 'cafetina' vietnamita foram indiciados por prostituição infantil e estão presos na maior prisão do Camboja, a The Prey Sar Prison, que abriga mais de 500 detentos.  Eles devem ser julgados no final do ano. 

Leia também: "Tinha de fazer sexo todo dia", diz paquistanês que tem 54 filhos e seis esposas

As crianças passarão por tratamento psicológico e terapêutico para evitar traumas relacionados aos abusos sexuais que sofreram. Não há informações sobre quando cada uma das crianças foi abusada. As vítimas têm hoje 12, 13, 14 e 15 anos de idade.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.