O americano Bill Shindler, que anda de cueca de pele de veado, acredita que todo mundo deveria caçar o próprio alimento para valorizar mais a comida

Família do
Shutterstock/Divulgação
Família do "homem das cavernas", como é conhecido Bill Shindler, também adere ao estilo de vida neandertal

Pense na seguinte situação: é hora do almoço. Você vai até a cozinha, pega um pote de comida pronta congelada, coloca no micro-ondas e devora tudo de baixo das cobertas, enquanto assiste TV. É rápido, simples e fácil (além de um pouco preguiçoso). Afinal, é isso que os seres humanos sabem fazer de melhor, certo? A menos que você seja filho do professor americano Bill Schindler, certo.

Leia também: Mulher ataca namorado com faca porque ele “passa tempo demais com seu cachorro”

Em suas aulas de antropologia, Schindler ensina aos estudantes universitários como viver como humanos primitivos. Mas ele não apenas conta como ser um homem das cavernas . Ele também vive como um.

Desde jovem, Schindler adorava aprender sobre o passado e tentava se conectar com o modo como as pessoas pré-históricas viviam. Suas atividades após a escola consistiram em caçar com seu pai e passar horas aprendendo a fazer ferramentas de pedra, como arcos e pontas de flechas.

Hoje, Schindler vive com sua esposa Christina, e seus três filhos em Maryland. E, acredite ou não, eles também assumiram o estilo de vida peculiar do pai.

A dieta é composta basicamente por carne, que é caçada, e inclui pães feitos no forno à lenha que fica no quintal. O pai também construiu recentemente uma “caverna" em seu porão, e ensinou os filhos, de 13, 11 e 9 anos, a pescar e cultivar frutas e verduras.

Educação

Enquanto lecionava arqueologia experimental e tecnologia primitiva na faculdade de Washington, o professor se espantou ao perceber que ninguém sabia realizar uma tarefa simples como quebrar um ovo. O motivo? Ninguém jamais havia lhes mostrado como fazer.

“Hoje, estamos tão acostumados a ter outras pessoas cuidando de tudo para nós, que vemos a comida na forma de pacotes em prateleiras de supermercados. Nós comemos com pouca ou nenhuma consideração de como ela ficou em nosso prato”, afirma o “homem das cavernas” da mundo atual ao New York Times.

Schindler acredita que os seres humanos estão “desconectados” de seus alimentos e das habilidades fundamentais que tornaram nossa espécie evoluída. Na verdade, de acordo com ele, hoje o número de pessoas que dominam as habilidades básicas de sobrevivência é menor do que em qualquer outro momento da história. Pense sobre isso.

"Não se trata de aprender a viver como um homem das cavernas, e sim, aprender a ser humano novamente", disse ele.

Leia também: Mulher finge impeachment de Trump para que ex-marido idoso "morresse em paz"

 Estilo de vida

Apesar de usar uma tanga com pele de veado debaixo das roupas e perseguir animais selvagens com um arco e flecha, Schindler e sua família não deixam de ser modernos.

Eles moram em uma casa suburbana e sua esposa, Christina, trabalha com tecnologia educacional. Mas, como ficar comprometidos com o estilo de vida pré-histórico dessa forma? Foi pensando nisso que eles criaram regras para a casa.

A carne precisa ser sempre massacrada por eles mesmos ou por alguém que eles conhecem. Cada pedaço do animal é reaproveitado, seja para alimentos, ferramentas e roupas. As partes mais densas em nutrientes, que, geralmente, nossos antepassados ​​dependiam - órgãos, gordura, sangue e tecidos conjuntivos - são devoradas. Diferente do que a maioria costuma descartar.

"Eu realmente acredito que se você vai acabar com a vida de um animal, ele precisa ser significativo para você", analisa Schindler, que acredita que quem come carne precisa matar o animal. Ele defende que as pessoas deveriam fazer isso pelo menos uma vez na vida.

Mas o professor americano não espera que o mundo inteiro siga seu modo de vida primitivo. Porém, ele espera poder colaborar para ensinar as pessoas a interagir com o meio ambiente e respeitar o que tomamos dele. E aí, você encararia um dia vivendo como o “homem das cavernas”?

Leia também: Cirurgião é inocentado após cortar pênis de criança fora durante circuncisão

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.