Canadense caminha até a Argentina para realizar sonho (e dá de cara com a porta)

Anton Pilipa saiu de sua casa em Toronto em 2012 com destino à Biblioteca Nacional da Argentina, mas não conseguiu entrar no prédio e decidiu voltar, sendo encontrado em Manaus. A família pensou que ele estivesse morto
Foto: Reprodução/Go Fund Me/Stefan Pilipa
O andarilho Anton (esquerda) voltou para casa depois que seu irmão Stefan o resgatou no estado do Amazonas, Brasil

Um canadense desaparecido desde 2012 foi encontrado na Amazônia depois de, supostamente, sair para uma "caminhada" de milhares de quilômetros em busca de uma biblioteca na Argentina. Detalhe importante: ele teria andando, desde Toronto, descalço. 

LEIA MAIS: "De quem é o rosto?": jovem acha foto de seu corpo com outra cabeça no Instagram

A família de Anton Pilipa já havia perdido qualquer esperança de rever o desaparecido quando a polícia brasileira ligou para eles e disse tê-lo encontrado em dezembro de 2016. Stefan, irmão do andarilho, contou ao “Daily Mail” o choque que a família sentiu.

“Eu me convenci de que ele havia morrido, porque era a única explicação razoável para sua ausência”, contou. “Mas, bem no fundo, eu não achava que pudesse estar morto. Eu estava em choque”, revela.

Em sua jornada, Anton passou pelo México, por algumas das cidades mais perigosas e cheias de gangues da América Central, e pela floresta tropical e úmida da Amazônia brasileira. Ao longo do caminho, o canadense sobreviveu se alimentando de frutas, castanhas e comida oferecida por desconhecidos generosos.

LEIA MAIS: Com dor de cabeça, mulher vai ao médico e descobre barata viva dentro do crânio

E a jornada "diferentona" de Anton acabou não tendo um final tão feliz, já que, literalmente, ele deu de cara com a porta. Isso porque, ao alcançar seu sonho e chegar à Biblioteca Nacional da Argentina, teve sua entrada negada. Resignado, ele teria decidido caminhar de volta para casa, mas acabou sendo encontrado em Manaus antes disso.

“Eu nunca me senti sozinho. Eu pensei muito ao longo desses anos e dormi a céu aberto. Viver é muito simples, nós não precisamos de tantas coisas”, disse Anton sobre a jornada. “Eu sei que tenho muita sorte por estar vivo. Eu estou muito feliz por poder voltar para minha família.”

'Nem tudo são rosas'

Em cinco anos, ele caminhou mais de 19 mil quilômetros, mas quase não se comunicou com as pessoas dos países por onde passou, uma vez que não aprendeu nada de espanhol ou português. Anton chegou ao Canadá na segunda-feira (5) depois de ser resgatados por seu irmão.

LEIA MAIS: "Viciado em masturbação", português é deportado por ato em público na Inglaterra

Mas como nem tudo são rosas, assim que chegou em seu país natal, acabou sendo preso por acusações de agressão cometidas antes que ficasse desaparecido. Ele foi liberado depois de pagar fiança, mas ainda deve enfrentar julgamento por suas ofensas.

Link deste artigo: https://ultimosegundo.ig.com.br/mundo/mundo-insolito/2017-02-10/andarilho-desaparecido.html