Filha do mexicano Miguel Gomar De Luna, de 74 anos, teria identificado cadáver do pai e o cremado, mas meses depois idoso chegou bêbado em casa

Miguel Angel Gomar De Luna voltou bêbado e machucado para casa dois meses após ter sido
Reprodução
Miguel Angel Gomar De Luna voltou bêbado e machucado para casa dois meses após ter sido "cremado" pela família

Uma família de Chihuahua, no México, ficou chocada quando o avô Miguel Angel Gomar De Luna, de 74 anos, foi encontrado pelos policiais meses depois "do corpo dele" ter sido cremado. Ele havia escapado de uma casa de repouso, foi a um bar, dormiu na rua e passou dias pedindo dinheiro na rua para comprar mais bebida.

LEIA MAIS: Estátua de Jesus Cristo "abre e fecha os olhos" em capela no interior do México

De acordo com o jornal britânico Mirror, após meses de procura em pleno inverno, os oficiais chamaram a família e disseram que haviam encontrado um corpo em decomposição com uma descrição parecida com a do desaparecido.

Sua filha, Lucero Gomar Ramos, viu as imagens do cadáver, mas o corpo estava em um estado tão ruim que ela lutou para reconhecer o pai. Segundo Lucero, se ela não confirmasse que aquele era Miguel, os oficiais não poderiam liberá-lo à família, forçando-a a assinar documentos confirmando a morte dele.

LEIA MAIS: Homem perde a paciência e, sozinho, espanca três policiais em aeroporto

Dias depois, um funeral foi realizado para Miguel. O corpo foi cremado, e as cinzas entregues à família. Porém, em 24 de fevereiro deste ano, dois meses após o enterro, a família recebeu outra ligação dizendo que Miguel tinha sido encontrado vivo.

Ele voltou bêbado para casa, com ataduras em volta da cabeça – de lesões desconhecidas, sofridas durante o tempo em que não estava sóbrio. Um vídeo da reunião mostra que Miguel balbuciava palavras dizendo: "Eles pensaram que eu estava morto, mas eu simplesmente caminhava e caminhava".

LEIA MAIS:  Polícia persegue 'disco voador' pelas ruas da Irlanda; assista

"Imagine nossa surpresa quando a polícia disse que o haviam localizado na rua. Não podia acreditar. Nós pensamos que ele tinha ido embora”, disse Lucero. Não se sabe quem era o corpo confundido com Miguel. A família agora enfrenta uma batalha para conquistar de volta a identidade dele, já que ele foi legalmente declarado morto.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.