Mulher corta o pênis do cunhado com uma foice após ser estuprada

Por Jornal Meia Hora |

compartilhe

Tamanho do texto

Segundo o jornal Times of India, a mulher levou o membro para a delegacia na Índia. O acusado de estupro se suicidou

Jornal Meia Hora

Uma mulher, 32 anos, usou uma foice para cortar o pênis do cunhado após garantir ter sido estuprada por ele seguidas vezes. Segundo o jornal Times of India, a vítima levou o membro para a delegacia em Sidhi, na Índia. O acusado se suicidou.

A vítima também relatou aos policiais que conseguiu alcançar a foice assim que ele começou a abusar dela
Reprodução
A vítima também relatou aos policiais que conseguiu alcançar a foice assim que ele começou a abusar dela

Segundo informações do jornal, a mulher chegou ao posto policial acompanhada dos três filhos. Ela contou, em depoimento, que vivia na casa do cunhado porque o marido trabalha a mais de 1,1 mil quilômetros da cidade.

A vítima também relatou aos policiais que conseguiu alcançar a foice assim que ele começou o abuso. "Foi o único jeito de fazê-lo parar (com os seguidos estupros)", disse a mulher, que ainda afirmou não se arrepender de ter decepado o pênis do cunhado.

Lembre crimes bárbaros de 2015

Matusalém Ferreira Júnior é acusado de mandar matar a esposa e os filhos gêmeos. Foto: Reprodução/YoutubePai dos bebês afirmou ter ajudado suposto assassino a marcar encontro com mãe para "dar um susto nela", que exigia pensão para os dois filhos. Foto: Facebook/ReproduçãoMulher e amante encomendaram morte de empresário de SP para ficar com o dinheiro. Segundo as investigações, a vítima teria um seguro de vida de R$ 500 mil
. Foto: ReproduçãoMarido mata a mulher e dorme ao lado do corpo por quatro noites no RS. Homem admitiu crime, mas diz que a morte foi acidental após a mulher cair e bater a cabeça. Foto: ReproduçãoO pintor de paredes Jorge Luiz Morais de Oliveira, 41 anos, confessou ter matado cinco mulheres e um homem desde o início de 2015. Os corpos foram escondidos na casa dele. Foto: Marcos Bezerra/Futura Press - 28.9.15 Tamara Samsonova, de 68 anos, decapitou e desmembrou dez vítimas em São Petersburgo, segundo confissão em um diário
. Foto: ReproduçãoJulio César Arrabal, de 40 anos, teria matado a esposa, levado o corpo para represa de Nazaré Paulista e depois se matado. Foto: ReproduçãoMala onde estava o corpo foi achado às margens da represa Atibainha, em Nazaré Paulista, interior de São Paulo (10.03.15). Foto: Edison Temoteo/Futura PressMichelli Nogueira Arrabal, de 31 anos, era casada. Foto: Facebook/ReproduçãoJovem de 22 anos foi presa acusada de matar o próprio pai na Paraíba. Em vídeo na web, a mulher confessou o crime e contou que, após matar o pai, bebeu seu sangue . Foto: Reprodução   Em junho, universitária de 25 anos e o namorado, 26, foram assaltados, sequestrados e baleados na cabeça em São Paulo. Foto: ReproduçãoEm setembro, um jovem de 15 anos assassinou o pai na frente da família com 18 tiros, no Rio. O suspeito teria tentado se suicidar, mas não tinha mais munição e fugiu. Imagem ilustrativa. Foto: ReproduçãoCom ajuda da irmã que também era sua amante, jovem mata os pais e come corpos. Crime chocou a cidade de Pilar, localizada a de 60 quilômetros de Buenos Aires, Argentina. Foto: Reprodução A Polícia Civil prendeu dois irmãos acusados de terem matado e esquartejado uma jovem de 24 anos na cidade Urubici, na serra de Santa Catarina. Foto: ReproduçãoEm novembro, jovem de 18 anos foi encontrada morta a facadas com diversos ferimentos no rosto e no pescoço, em Santa Catarina. 
. Foto: ReproduçãoCarolina Slachta: depoimento da mulher do assassino levou polícia a encontrar culpado, um vizinho. Foto: Facebook/ReproduçãoEm fevereiro, família foi encontrada morta em Santa Catarina. PM suspeita que pai matou esposa, filha, sogro, sogra e cunhada e depois se matou por não aceitar separação. Foto: ReproduçãoAlcir Pederssetti, de 41 anos, é suspeito de assassinar a esposa, filha, sogro, sogra e cunhada e depois se matar. Foto: Reprodução/Facebook

A polícia enviou agentes até o local do abuso sexual, mas eles já encontraram o homem morto, pendurado em uma árvore, com uma corda no pescoço. De acordo com o porta-voz da polícia de Sidhi, Abid Khan, mesmo com o ato de legítima defesa, a agredida foi presa por tentativa de homicídio.

Segundo o último número do Escritório de Registro Nacional de Crimes da Índia, em 2014, foram registrados 33.707 estupros no país.

Leia tudo sobre: jornal meia horamundo insólitoestuproíndia

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas