Nova Zelândia: mulher tem Audi confiscado após coletar mariscos na praia

Por BBC | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Xiaojuan Wei foi flagrada com 1.162 mariscos após deixar uma praia da cidade, mas a cota máxima por pessoa é de 50 por dia

BBC

Uma mulher de Auckland, na Nova Zelândia, teve o Audi, avaliado em 128 mil dólares neozelandeses (cerca de R$ 280 mil), confiscado depois que admitiu ter coletado mais mariscos do que o permitido na praia. A informação foi publicada pelo jornal "The New Zeland Herald".

Imagem do modelo A3 da Audi: mulher foi flagrada com 1.112 frutos do mar a mais do que podia
Reprodução
Imagem do modelo A3 da Audi: mulher foi flagrada com 1.112 frutos do mar a mais do que podia

Xiaojuan Wei foi flagrada com 1.162 mariscos após deixar uma praia da cidade em junho do ano passado. A cota máxima diária é de 50 por pessoa.

A Nova Zelândia controla rigidamente a coleta de berbigões (vôngoles) como forma de manter estável a população do molusco ─ há, inclusive, uma linha telefônica gratuita disponibilizada pelo governo para o público fazer denúncias anônimas.

Leia também:
Após reagir a ataque de tubarão, costurei perna e fui beber, diz neozelandês
Idosos dançam hip-hop na Nova Zelândia
Criatura bizarra assusta moradores na África do Sul

Os fãs de frutos do mar são autorizados a coletar outros 50 moluscos de diferentes espécies nas praias da região, mas Wei também desrespeitou a determinação ─ ela tinha 183 búzios e 960 ostras em seu carro.

"Os moluscos são uma parte vital do ambiente marinho e da cadeia alimentar", diz Mike Simmons, do Ministério de Indústrias Primárias. "A exploração desmedida desses animais por caçadores que descumprem as regras tem efeitos duradouros."

Wei, no entanto, está longe de ter sido a primeira pessoa a ser flagrada com uma quantidade de moluscos acima da permitida. Em abril, autoridades da região de Canterbury detiveram um grupo com nove sacos repletos de berbigões. A polícia fez a apreensão por meio de uma denúncia anônima.

A contagem da carga ficou a cargo de funcionários do ministério, segundo Peter Hyde, gerente de compliance regional. "Tivemos de delegar a tarefa a quatro funcionários, que demoraram uma hora para contar todo o material. No total, havia 10,5 mil mariscos", afirma ele.

Leia tudo sobre: mariscosaudinova zelândiamundo insólito

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas