Mulheres motociclistas na Libéria vestem cor-de-rosa para não serem roubadas

Por BBC |

compartilhe

Tamanho do texto

Dearest Coleman, que trabalha como mototaxista há cinco anos, criou o grupo após ser enganada e ter sua moto roubada

BBC

Mulheres mototaxistas na Libéria cansaram de ser roubadas. Então decidiram formar um grupo, chamado de Panteras cor-de-rosa, e vestiram capacetes brilhantes e jaquetas fáceis de serem vistas. Dearest Coleman, que trabalha como mototaxista há cinco anos, decidiu criar o grupo em janeiro depois de ser enganada por passageiros e ter sua moto roubada.

Leia também: Supermercado esconde 380 kg de cocaína em caixas de banana

Mulheres mototaxistas na Libéria cansaram de serem roubadas. Então, formaram um grupo, chamado de Panteras cor-de-rosa, e vestiram capacetes brilhantes e jaquetas fáceis. Foto: BBCDearest Coleman estava trabalhando como mototaxista quando passageiros a levaram para uma emboscada. Quando ela não entregou as chaves, os ladrões bateram nela e roubaram sua moto. Foto: BBCAgora, ela tem que alugar sua moto, ao preço de 500 dólares liberianos (cerca de R$ 18) por dia. Ela espera ter sua própria moto novamente no futuro. Foto: BBCMototáxis são populares em Monróvia e Dearest tem trabalhado como mototaxista há cinco anos. Foto: BBCEla trabalha das 5h às 21h na maioria dos dias - assim, lhe sobra pouco tempo para passar com seus filhos. Foto: BBCCom nove outras mulheres, ela formou o grupo Panteras cor-de-rosa em janeiro. Foto: BBCNo início, elas viram que mulheres hesitavam em contratar uma mototaxista mulher. Foto: BBCNão é comum encontrar mototaxistas mulheres em Monróvia, diz Henrietta Tolbert, do Centro Internacional Angie Brooks para o Empoderamento de Mulheres. Foto: BBCDearest diz que não se sente segura. "Temos que enfrentar muitas coisas, muitos desafios". Foto: BBCMas ela diz querer que mais mulheres se juntem ao grupo. Foto: BBC


Leia tudo sobre: libériaroubomotociclistasrosa

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas