Guia chinesa é demitida após ameaçar turistas por comprarem pouco

Por BBC Brasil | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Episódio deflagra onda de críticas a modelo de turismo interno de pacotes baratos 'compensados' por estímulo a vendas

BBC

Uma guia chinesa teve sua licença revogada após ser flagrada repreendendo turistas por não fazerem compras. Ela foi filmada por uma testemunha e a gravação se tornou viral na internet.

Leia todas as notícias de Mundo Insólito

Baixas tarifas cobradas em passeios turísticos têm feito guias obrigarem turistas a fazer compras
Reprodução/BBC
Baixas tarifas cobradas em passeios turísticos têm feito guias obrigarem turistas a fazer compras

A mulher ameaçou cancelar a próxima viagem do grupo e não se responsabilizar pelo translado de retorno se cada turista não gastasse ao menos 3.000 yuan, o equivalente a cerca de R$ 1.500, em determinadas lojas. Autoridades da região de Yunnan disseram que ela violou leis nacionais de turismo.

Desde 2013, guias de turismo chineses estão tendo suas licenças canceladas por organizar paradas irregulares para compras. O vídeo de quatro minutos de duração mostra a guia falando em um ônibus cheio de turistas: "Onde está seu senso de consciência e moral".

"Se todos vocês não gastarem mais de 3.000 ou 4.000 (yuan) nós vamos cancelar a viagem de Xishuangbanna, e a companhia não vai se responsabilizar pelo retorno a Shenyang".

A gravação foi publicada no YouTube e circulou amplamente por sites de mídia social em língua chinesa. Ele foi descrito como um insulto e levou muitos internautas a relatar suas próprias experiências ruins com guias de turismo chineses.

De acordo com Martin Yip, da BBC China, forçar turistas a comprar tem sido um problema crônico no país; ele é geralmente ligado às tarifas muito baixas cobradas por agências de turismo.

Em maio de 2010, um ex-tenista, Chen Youming, morreu após um ataque do coração sofrido do lado de fora de uma joalheria em Hong Kong. Aparentemente, ele passou mal após uma briga com o guia turístico, que queria obrigá-lo a fazer compras.

A comoção e indignação com o caso levou a China a promulgar uma nova lei de turismo em 2013, para coibir os pacotes excessivamente baratos supostamente 'compensados' pelo incentivo a compras. Mas, segundo Yip, o incidente em Yunnan mostra que é preciso fazer mais.

Criminosa

Além de revogar a licença da guia turística, autoridades de Yunnan disseram no domingo que a agência de turismo em que ela trabalhava teve as atividades suspensas.

A agência de turismo Kunming Fenghua foi multada em 20 mil yuan, segundo afirmou a Comissão Provincial de Desenvolvimento do Turismo de Yunnan.

"Primeiro, a guia turística forçou eles a comprar. Se o vídeo for real, então suas palavras certamente violam os regulamentos. Segundo, sua atitude foi terrível. Terceiro, ela usou linguagem abusiva. Então, baseado nesses aspectos, podemos dizer que ela violou o regulamento", afirmou o porta-voz do órgão Liu Kunfeng à rádio chinesa CRIEnglish.

Muitos usuários do serviço de microblog chinês Weibo relataram incidentes similares, alguns na mesma província.

"Mais do que apenas forçar você a comprar, meu guia turístico nos fez pagar tarifas e mudou o itinerário sem nosso consentimento. Nós tentamos fazer reclamações, mas os funcionários se protegem uns aos outros. Não devemos mais ir a Yunnan. Esse não foi um incidente isolado, está em todo lugar", diz um usuário.

Outro usuário descreve um encontro com um guia em um passeio em províncias no nordeste da China durante um importante feriado de primavera na China.

"A guia turística era uma criminosa. Eu quase entrei em uma briga com ela. E estávamos em um local sem sinal de celular, onde todos foram obrigados a gastar dinheiro. Eles nos ameaçaram, mas como não havia sinal de celular não podíamos chamar a polícia".

Leia tudo sobre: chinayunnan

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas