Japonesa tenta estrangular marido por não ganhar presente

Por iG São Paulo |

compartilhe

Tamanho do texto

Mulher de 43 anos aproveitou que o marido estava dormindo para estrangulá-lo com uma gravata; ele acordou e conseguiu chamar a polícia, que a prendeu por tentativa de homicídio

Uma mulher de 43 anos da cidade de Sakai, em Osaka, no Japão, foi presa por tentativa de homicídio, nesta segunda-feira (16) após tentar estrangular o marido, de 31 anos, por não ganhar chocolate. As informações são do Japan Today. 

Segundo a polícia, Mie Nishiyama aproveitou que o marido estava dormindo para estrangulá-lo com uma gravata. O homem acordou e conseguiu chamar a polícia. 

Nishiyama, que administra um salão de beleza, disse à polícia que ficou com raiva do marido porque ele não lhe deu chocolates ou qualquer outro presente no último dia 14, data em que se comemora o White Day.

Tradicionalmente, no Japão, os homens recebem chocolates das mulheres no dia dos Namorados, comemorado em 14 de fevereiro, e um mês depois têm que retribuir, com chocolate ou qualquer outro presente. 

A polícia disse Nishiyama estava alcoolizada. Ela teria dito ainda que não tinha intenção de matar o marido, que sofreu apenas ferimentos leves.

Conheça as mulheres mais cruéis da história

Jiang Qing (1914-1991): 3ª esposa de Mao Tsé-tung, Jiang foi conhecida como a 'ditadora cultural' e levou milhares à morte em trabalhos forçados. Foto: Reprodução/BunjooAileen Wuornos (1956-2002): nos EUA, a serial killer matou ao menos seis homens e inspirou o filme Monster, com Charlize Theron. Foto: Getty ImagesGertrude Baniszewski (1929-1990): como babá, ela torturou Sylvia Likens, 16, até sua morte em Indiana, EUA. Foto: Reprodução/YoutubeMiyuki Ishikawa (1897-): parteira japonesa causou a morte de ao menos 103 recém-nascidos nos anos 1940 por negligência. Foto: Reprodução/LifeMaria 1ª (1516-1558): conhecida como a 'rainha sanguinária' da Inglaterra, ela perseguiu e causou a morte de milhares de protestantes. Foto: Wikimedia CommonsIlse Koch (1906-1967): no período nazista, a 'maldita de Buchenwald' arrancava a pele de prisioneiros e as usava como enfeite em sua casa. Foto: Wikimedia CommonsNannie Doss (1905-1965): a americana confessou ter matado, dos anos 1920 aos 1950, marido, filhos, irmãs, a própria mãe, neto e sobrinho. Foto: Reprodução/YoutubeElena Ceausescu (1916-1989): voz ativa na política romênia, incentivou a ditadura e proibiu testes que detectavam doenças no sangue. Foto: Wikimedia CommonsDarya Nikolayevna Saltykova (1730-1801): a russa mandou matar mais de 100 servos e torturá-los, arrancando orelhas, por exemplo. Foto: Reprodução/YoutubeRosemary West (1954-): ninfomaníaca, a britânica matou com seu marido mais de 12 pessoas e abusou sexualmente dos próprios filhos. Foto: Reprodução/YoutubeIrma lda Ilse (1923-1945): na Alemanha nazista, torturou crianças, deixou cães devorarem os presos e os surrou até a morte. Foto: Reprodução/YoutubeElizabeth Bathory (1560-1614): húngara mandou matar ao menos 80 virgens para depois se banhar com seu sangue para manter-se jovem. Foto: Reprodução/YoutubeDelphine LaLaurie: nascida por volta de 1775, a norte-americana ajudou a torturar, mutilar e matar até 96 escravos. Foto: Reprodução/YoutubeBelle Gunness (1859-1908): além de matar dois maridos e os filhos, a norueguesa que morava nos EUA pode ter matado mais 20 pessoas. Foto: Reprodução/Youtube


Leia tudo sobre: japãoestrangularcrime

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas