Mulher disse que não viu o filme O ABC da Morte antes de mostrá-lo para os alunos, que têm entre 14 e 18 anos

AP

Alunos viram
Reprodução
Alunos viram "ABC da Morte", que mostra 26 maneiras diferentes de morrer

Uma professora foi condenada a 90 dias na prisão por exibir um filme com cenas de sexo explícito e violência para alunos do ensino médio de uma escola de Columbia, nos Estados Unidos. 

Sheila Kearns, de 58 anos, foi condenada por divulgação de matéria prejudicial para os alunos, que têm entre 14 e 18 anos. O filme exibido, O ABC da Morte (The ABCs of Deaths), é composto por 26 capítulos, cada um representando uma forma de morte terrível ligada a cada uma das letras do alfabeto, como E para exterminação e O para orgasmo. 

Durante o julgamento, ela pediu desculpa no tribunal e disse que não tinha visto o filme antes de exibir aos alunos da Columbus East High School, em abril de 2013.  O advogado de defesa afirmou que ela nunca teria exibido o filme aos alunos se tivesse consciente do conteúdo. 

No entanto, um dos estudantes testemunhou que a professora tinha assistido ao filme de 129 minutos. Ele disse ainda que o filme era "pertubador" e que os alunos ficaram "loucos" enquanto o assistiam. O DVD foi confiscado por um assistente da direção da escola enquanto era exibido. 

Leia também:  Lembre os casos de professoras que se envolveram em polêmicas

Os promotores alegaram que o título do filme dá uma ideia do conteúdo e que a professora deveira ter dado uma olhada antes de exibi-lo para alunos, com idades entre 14 e 18 anos. 

O juiz concedeu liberdade condicional por três anos, mas ela terá que cumprir 90 dias de prisão para ter direito ao benefício.

Veja mais casos de professores que 'aprontaram' em sala de aula

Os jurados assistiram ao filme, que é classificado com 4.7 estrelas no site IMDb. A nota máxima é 10.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.