Vítimas eram dopadas enquanto participavam de um suposto estudo sobre o dono; imagens eram vendidas na internet

A polícia prendeu um falso médico, Hideyuki Noguchi, acusado de cometer abusos sexuais, no Japão. De acordo com a investigação, ele dopava as vítimas que participavam de um suposto estudo sobre o sono e que dormiam pacificamente, enquanto ele gravava vídeos pornôs para vender na internet. Cerca de cem mulheres, de 20 a 40 anos, foram vítimas de Noguchi.  

Mais de cem mulheres sofreram abusos
Getty Images/Reprodução
Mais de cem mulheres sofreram abusos

Segundo relatório da polícia, os abusos começaram em 2012. Noguchi publicava anúncios em jornais em busca de voluntárias para estudo do sono e levava suas vítimas para hotéis e spas em diversas regiões do Japão. Os abusos só foram denunciados depois de uma das vítimas se reconhecer em vídeo pornô.

Autoridades disseram que o criminoso não tem formação médica para conduzir experiências sobre o sono. Ele teria faturado cerca de U$ 100 mil com os vídeos.

Leia mais: 
Abusos sexuais, criminosos, abandono: veja como é o "pior hospital do mundo"
Carnaval de Salvador vai ter observadores contra abusos sexuais
Casos de abusos na USP refletem violência da sociedade, diz antropóloga


    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.