Falso médico japonês é preso por abusar de pacientes e fazer vídeos pornô

Por iG São Paulo | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Vítimas eram dopadas enquanto participavam de um suposto estudo sobre o dono; imagens eram vendidas na internet

A polícia prendeu um falso médico, Hideyuki Noguchi, acusado de cometer abusos sexuais, no Japão. De acordo com a investigação, ele dopava as vítimas que participavam de um suposto estudo sobre o sono e que dormiam pacificamente, enquanto ele gravava vídeos pornôs para vender na internet. Cerca de cem mulheres, de 20 a 40 anos, foram vítimas de Noguchi.  

Mais de cem mulheres sofreram abusos
Getty Images/Reprodução
Mais de cem mulheres sofreram abusos

Segundo relatório da polícia, os abusos começaram em 2012. Noguchi publicava anúncios em jornais em busca de voluntárias para estudo do sono e levava suas vítimas para hotéis e spas em diversas regiões do Japão. Os abusos só foram denunciados depois de uma das vítimas se reconhecer em vídeo pornô.

Autoridades disseram que o criminoso não tem formação médica para conduzir experiências sobre o sono. Ele teria faturado cerca de U$ 100 mil com os vídeos.

Leia mais: 
Abusos sexuais, criminosos, abandono: veja como é o "pior hospital do mundo"
Carnaval de Salvador vai ter observadores contra abusos sexuais
Casos de abusos na USP refletem violência da sociedade, diz antropóloga


Leia tudo sobre: japaopornô

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas