Cuba proíbe perfumes inspirados em Chávez e Che Guevara: "Símbolos sagrados"

Por Reuters | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Empresa cubana que produz produtos de limpeza e lançou colônias nesta semana será punida por seu "grave erro"

Reuters

Cuba desistiu dos planos de desenvolver fragrâncias em honra ao seu herói revolucionário Ernesto "Che" Guevara e ao ex-presidente da Venezuela Hugo Chávez, dizendo que o projeto era desrespeitoso aos dois "sagrados" símbolos revolucionários.

Reprodução/BBC
Hugo Chávez motivou perfume com aromas cítricos; Já Che, com toques de Carvalho

O comitê-executivo do Conselho de Ministros, um dos principais órgãos do governo socialista, disse em comunicado neste sábado (27) que os responsáveis por promover as fragrâncias seriam disciplinados por seu "grave erro".

"Estes tipos de iniciativas nunca serão aceitos por nosso povo nem pelo governo revolucionário. Os símbolos – de ontem, hoje e sempre – são sagrados", disse o comunicado.

A empresa estatal química e farmacêutica Labiofam anunciou os planos de desenvolver as fragrâncias "Ernesto" e "Hugo" esta semana.

Leia mais:
Hugo Chávez e Che Guevara viram perfumes em Cuba

A Labiofam pesquisou mais de 100 pessoas na reunião, testando as fragrâncias que ainda estavam em desenvolvimento, disse o diretor de pesquisa e desenvolvimento da empresa, Mario Valdes, na quinta-feira (25). Eles planejavam um lançamento comercial no primeiro trimestre do próximo ano, disse ele.

O comunicado do governo não disse se Vales era um dos que seriam disciplinados. Ele não atendeu às ligações da imprensa neste sábado.

As famílias de Guevara e Chávez nunca aprovaram o uso do nome de seus parentes para as fragrâncias, que não foram registradas ou produzidas comercialmente, disse o documento.

Leia tudo sobre: cubaperfumesche guevarahugo chávez

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas