Morte de macaco faz 200 rasparem a cabeça na Índia

Por BBC |

compartilhe

Tamanho do texto

Os macacos são considerados sagrados pelos hindus e há templos dedicados ao deus macaco Hanuman por toda a Índia

BBC

BBC
Depois que o macaco foi cremado, os homens locais rasparam suas cabeças e barbas em luto

Cerca de 200 pessoas de um vilarejo indiano rasparam suas cabeças em luto pela morte de um macaco que ficava no templo hindu local.O animal se afogou em uma lagoa enquanto fugia da perseguição de cachorros.

Com receio de que sua morte traga má sorte à população local, os moradores fizeram uma procissão funerária e cremaram o macaco de acordo com o ritual hindu. Outros 700 habitantes do vilarejo também rasparam suas barbas.

Os macacos são considerados sagrados pelos hindus e há templos dedicados ao deus macaco Hanuman por toda a Índia.

Hanuman geralmente é representado com um corpo humano, um rosto vermelho de macaco e um rabo. Seus seguidores acreditam que adorá-lo os liberta do medo e do perigo.

Leia também:
Macaco não tem direitos autorais sobre fotos, segundo órgão dos EUA

'Muito agourento'

O macaco morto era parte de um casal que vivia próximo a um templo dedicado à Hanuman no vilarejo de Dakachya, no Estado indiano de Madhya Pradesh. Ele se afogou no dia dois de setembro e seu corpo foi descoberto por moradores no dia seguinte.

"Os mais velhos disseram que a morte de um macaco dentro da comunidade é algo muito agourento. Tivemos medo de que nos trouxesse má sorte, alguma calamidade natural", disse Mithun Patel, morador de Dakachya. "Então decidimos apaziguar a alma do macaco para garantir que nada aconteceria a nosso vilarejo."

Depois que o macaco foi cremado, os homens locais rasparam suas cabeças e barbas em sinal de luto.Um grupo de moradores também viajou até a cidade sagrada hindu de Haridwar para jogar as cinzas do macaco no rio Ganges.

O início das festividades de 11 dias para rezar pela alma do macaco foi adiado para um domingo para que as crianças também pudesse participar, segundo Patel.

Milhares de moradores de vilarejos próximos também compareceram. O evento custou cerca de 150 mil rúpias (R$ 5.800) a Dakachya. O dinheiro foi conseguido com doações dos moradores.

Veja imagens de amizades improváveis no mundo animal:

Urso, leão e tigre-de-bengala, EUA: Leo, Baloo e Shere Khan, retrospectivamente, são os únicos animais dessas espécies a compartilhar um ambiente. Foto: Reprodução/FacebookUrso, leão e tigre-de-bengala, EUA: eles foram retirados, ainda filhotes, das mãos de traficantes, em 2004, e entregues a santuário de animais. Foto: Reprodução/FacebookElefante e ovelha, África do Sul: o filhote Themba (à esq.), que é órfão, e Albert se tornaram inseparáveis na reserva de Shamwari. Foto: Reprodução/FacebookLeopardo e cão, África do Sul: Salati (à esq.) e Tommy são vistos sempre juntos em uma propriedade rural perto de Pretória. Foto: Reprodução/Daily MailMacaco e gato, Indonésia: primata 'adotou' gatinho que apareceu em floresta. Anne Young fez o registro em 2010. Foto: Anne Young/solentUrso polar e cão, Canadá: o fotógrafo Norbert Rosing clicava husky siberiano quando um urso polar apareceu. Foto: Reprodução/FacebookUrso polar e cão, Canadá: Rosing pensou que seria o fim do cão, mas para sua surpresa, o urso se aninhou ao husky, que lambeu seu focinho. Foto: Reprodução/YoutubeMacaco, leão e tigre, China: zoológico de Shenyang abriga grupo de filhotes 'rejeitados' que se juntaram e convivem em harmonia. Foto: Reprodução/FacebookPato e cães, Inglaterra: o 'simpático' pato Essy passeia de coleira ao lado de seus 'irmãos', Rachka e DD, pelas ruas de Bournemouth. Foto: Reprodução/FacebookCão e coruja: com 6 meses, o cachorro Torque adotou Shrek, que havia sido retirada da mãe por cuidadores. Ela poderia ser morta no ninho. Foto: Reprodução/YoutubeOrangotango e cachorro, EUA: após a morte dos pais, Roscoe entrou em depressão e só se recuperou com a ajuda de um cão. Foto: Reprodução/FacebookGata e rato, Tailândia: a felina Auan 'cria' Jeena como seu filhote há vários anos Eles vivem em uma fazenda ao norte de Bangcoc. Foto: Reprodução/FacebookCão e tartaruga, EUA: Guppy (à esq.) chegou ao abrigo de animais Rock Ridge e logo fez amizade com Crouton. Foto: Reprodução/FacebookLeão e cão, EUA: Milo, o cachorro, 'adotou' Bonedigger quando ele era filhote. Anos depois, ambos continuam amigos e moram no G.W. Exotic Animal Park. Foto: Reprodução/YoutubeGata e coelha, EUA: Kara (à esq.) e Melba a foram resgatadas juntas e se tornaram inseparáveis desde então. Elas brincam e dormem juntas. Foto: Reprodução/FacebookGato e golfinho: em vídeo publicado na internet, os animais trocam 'afagos' e parecem bastante curiosos um com o outro. Foto: Reprodução/YoutubeMacaco e pomba, China: primata tinha 12 semanas quando foi encontrado sem a mãe em Guangdong. Ele foi levado a abrigo e 'adotado' por ave, em 2007. Foto: Reprodução/FacebookElefante e cadela, EUA: ao chegar em santuário de elefantes, Tarra (à esq.) escolheu Bella como companheira, ao invés de outros elefantes. Foto: Reprodução/FacebookCavalo e ovelha, Reino Unido: quando não está treinando para torneios, o velocista Black Caviar (à esq.) aproveita seu tempo com Billy. Foto: Reprodução/FacebookCão e peixe, EUA: curiosidade entre Chino, o cão, e a carpa Falstaff se transformou em parceria, segundo donos dos bichos. Foto: Reprodução/FacebookChimpanzé e puma, EUA: a macaquinha Anjana adotou a pequena Sierra assim que ela chegou ao  Institute of Greatly Endangered and Rare Species. Foto: Reprodução/FacebookGuaxinim e cachorro: o exótico animal aparecendo cheirando e fazendo carinho no focinho do cão, em vídeo postado em 2012. Foto: Reprodução/YoutubeCão e gato, EUA: diariamente, um cãozinho passa por uma casa onde mora uma gatinha. Os dois se 'cumprimentam' e saem para passear juntos. Foto: Reprodução/Facebook
Leia tudo sobre: indiamacacohindu

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas