Juíza dos EUA manda soropositivo parar de contaminar outras pessoas

Por BBC |

compartilhe

Tamanho do texto

Homem de Seatlle infectou oito pessoas entre 2010 e 2014, apesar de ter sido aconselhado por autoridades

BBC

Uma juíza da cidade de Seattle, nos Estados Unidos, determinou que um homem soropositivo pare de contaminar outras pessoas e se trate.

O homem, identificado apenas como "AO", infectou outras oito pessoas nos últimos quatro anos.

Autoridades sanitárias que levaram o caso à Justiça afirmam que não tiveram a intenção de criminalizar a atividade sexual do homem, mas sim de proteger a saúde pública.

Se o homem desrespeitar a decisão, pode ser multado ou até preso.

SPL
O homem descobriu que era soropositivo em 2008, mas não teria tomado precauções


Aconselhamento

Todo ano, cerca de 50 mil pessoas são infectadas pelo vírus HIV nos Estados Unidos, nas estimativas do Centro de Prevenção e Controle de Doenças (CDC, na sigla em inglês).

Cerca de 16% de 1,1 milhão de pessoas contaminadas sequer sabem que têm o vírus.

AO soube que era soropositivo em 2008 e entre 2010 e 2014 teria contaminado oito pessoas, de acordo com os autos do processo, vistos pela imprensa local.

Isso, apesar de ter participado de cinco sessões de aconselhamento sobre o HIV, nas quais foi orientado a praticar sexo seguro.

Em uma nota oficial, o departamento de saúde do Condado King disse que antes disso havia apresentado queixas apenas contra um outro homem soropositivo, em 1993.

"Não temos a intenção de criminalizar o comportamento sexual com isso", disse ao jornal Seattle Times Matthew Golden, diretor de saúde do programa de HIV do condado.

"Estamos tentando proteger a saúde pública. E estamos tentando garantir a todos o atendimento que necessitam, inclusive a pessoa envolvida neste caso."

Leia tudo sobre: soro positivojuízaEstados Unidos

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas