'Canibal da Sibéria' comia carne humana cozida com ajuda da mãe e brasileiro vendia empadas com restos mortais em PE

Nos anos 1980, o jovem Alexander Spesivtsev matou sua então namorada e acabou cumprindo pena em instituição psiquiátrica de Kemerovo Oblast, Rússia, onde nasceu, em 1970. Após tratamento, ele foi considerado apto a viver novamente em sociedade e libertado em 1991. No mesmo ano, ele deu início a uma série de crimes que ficaram famosos pelos requintes de crueldade, que incluíam tortura e canibalismo.

Leia mais notícias do Mundo Insólito

Seus principais alvos eram crianças de rua. Investigações da época apontaram 19 vítimas, mas acredita-se que número chegue a até 80. Ele atraía meninas para áreas afastadas dos grandes centros ou para sua casa e, após cometer os assassinatos, cozinhava os corpos com a ajuda de sua mãe, Lyudmila. 

Conhecido pela mídia como o "Canibal da Sibéria", Spesivtsev continuou a cometer seus crimes até ser capturado, em 1996. Três anos depois, ele foi considerado doente mental por um tribunal russo e internado em um hospital psiquiátrico, onde está até hoje. Lyudmila negou qualquer envolvimento com os assassinatos, mas foi sentenciada a 13 anos por ter sido cúmplice. Conheça outros criminosos canibais ao redor do mundo:


    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.