Hienas atacam moradores de rua na capital da Etiópia

Por BBC Brasil |

compartilhe

Tamanho do texto

Voluntário em posto de saúde afirma que atende algumas vezes ao mês sem-teto que tiveram dedos arrancados pelos animais

BBC

Hienas urbanas que atacam moradores de rua estão se tornando um problema sério para as autoridades da capital da Etiópia, Adis-Abeba. Os animais são comuns nos morros ao redor da cidade, mas nos últimos anos eles vêm se mudando para as regiões residenciais.

Leia mais notícias do Mundo Insólito

BBC
Hienas viviam nos morros ao redor de Adis-Abeba, mas hoje estão em zonas residenciais

Leia: Saiba quais são os animais que mais matam seres humanos no mundo

Em alguns casos, as hienas contribuem para manter um certo equilíbrio na capital, reduzindo a população de gatos selvagens e cães vadios. Elas também ajudam a "limpar" as ruas, alimentando-se da carcaça de cavalos e outros animais. Mas a população de hienas tem saído do controle das autoridades locais. Hoje ela está estimada entre 300 e 1 mil.

O governo etíope diz que as hienas são perigosas. Em 2011, os administradores do aeroporto da cidade contrataram caçadores para matar hienas que invadiam as pistas aéreas durante pousos e decolagens.

Moradores próximos ao cemitério Ketchene também reclamaram de hienas que cavaram buracos no local e se alimentaram dos restos de pessoas mortas enterradas lá.

As hienas costumam caçar em bandos. Um guarda noturno da Embaixada do Reino Unido na Etiópia disse ter visto uma fila de 40 hienas caçando nas redondezas.

Saiba quais animais mais matam seres humanos no mundo:

Mosquito Anopheles: fêmeas carregam os parasitas causadores da malária. Doença mata até 1 milhão por ano no mundo. Foto: Getty ImagesSerpentes: são responsáveis por 125 mil mortes todos os anos no mundo. Só na Ásia são mais de 25 mil. Foto: Reprodução/YoutubeÁgua-viva: uma das criaturas mais venenosas do mar. Ao menos 5.567 mortes foram relacionadas ao animal desde 1884. Foto: Reprodução/YoutubeTubarão Branco: em 2012, o animal foi responsável por 55 ataques, quatro deles fatais. O registro dos primeiros ataques começaram em 1876. Foto: Getty ImagesLeões africanos: felinos vivem e caçam em bando. Há registros de ao menos 250 mortes de seres humanos por ano. Foto: Reprodução/YoutubeCrocodilos de águas salgadas: todos os anos, mais de 2 mil mortes são causadas pelo réptil, que é o maior do planeta. Foto: Getty ImagesElefantes: pesando até 16 toneladas, os mamíferos são responsáveis por cerca de 600 mortes ao ano. A maior parte delas por esmagamento. Foto: Wikimedia CommonsUrso polar: extremamente protetor de seus filhotes, um urso, , quando se sente ameaçado, pode cortar a cabeça de uma pessoa apenas com uma 'patada'. Foto: Reprodução/YoutubeBúfalo africano: os machos chegam a medir 1,80 m. Esses animais andam e atacam em bando. O homem e o leão são suas maiores vítimas. Foto: Getty ImagesAnuros coloridos: menores do que sapos, esses anfíbios chamam a atenção pela linda cor da pele, que contém glândulas venenosas capaz de matar um homem. Foto: Getty ImagesHipopótamos: o homem em si não é seu grande alvo, a não ser que invada seu território. Os animais são violentos quando se sentem ameaçados. Foto: Reprodução/YoutubeTigres: grandes corredores e observadores, esses felinos atacam mais no leste da Índia. Cerca de 35 pessoas morrem na região por ano. Foto: Getty Images

A principal ameaça é aos moradores de ruas. Um voluntário em um posto de saúde disse que algumas vezes ao mês ele atende pessoas sem-teto que tiveram dedos arrancados por hienas.

Um morador de rua chegou à clínica com seu couro cabeludo parcialmente arrancado por um dos animais. No ano passado, uma mulher que morava próximo à igreja St. Stephanos e a um hotel da cadeia Hilton perdeu o filho. O bebê foi arrancado de seus braços por hienas.

Em dezembro, as autoridades de Adis-Abeba organizaram um abate. Dez caçadores licençiados mataram dez hienas que viviam em um terreno baldio no coração da cidade. Meia dúzia de tocas também foram detectadas perto do centro da cidade.

Leia tudo sobre: etiópiahienamorador de rua

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas