Califórnia acha centenas de cobras mortas e vivas em fétida 'Casa dos Horrores'

Por AP | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Das 400 pítons da casa, 220 estavam mortas. Local tinha infestação de ratos e camundongos que se 'canibalizavam'

AP

Um professor foi preso na quarta-feira depois que centenas de cobras píton foram encontradas em caixas de plástico empilhadas até o teto em sua casa fétida no subúrbio da Califórnia.

Conheça a home do Último Segundo

Enquanto os investigadores com máscaras carregavam os répteis para fora da casa, repórteres e transeuntes tiveram vontade de vomitar por causa do cheiro. Alguns taparam o nariz ou se distanciaram da casa de cinco quartos para respirar ar puro.

Repórteres de TV tampam o nariz enquanto entrevistam autoridade sobre casa com centenas de cobras em Santa Ana, Califórnia (29/1). Foto: APCinegrafista de TV filma cobras retiradas de casa em Santa Ana, Califórnia (29/1). Foto: APPolicial de Santa Ana segura píton em Santa Ana, Califórnia (29/1). Foto: APPíton é preparada para transporte após ser retirada de casa em Santa Ana, Califórnia (29/1). Foto: APCobras mortas são vistas em caixas de plástico do lado de fora da casa de William Buchman em Santa Ana, Califórnia (29/1). Foto: APHomem prepara píton para transporte em Santa Ana, Califórnia (29/1). Foto: APLixo é visto do lado de fora de casa de William Buchman em Santa Ana, Califórnia (29/1). Foto: APImagem da polícia mostra William Buchman, que foi preso por negligência no tratamento de animais porque sua casa na Califórnia tinha centenas de cobras. Foto: AP

EUA: Autoridades da Flórida organizam caçada a cobras píton

"Só para tirar esse cheiro sinto que será necessário tomar banho por uma semana", disse o policial Anthony Bertagna. "Elas estão em todos os quartos, em todos os lugares."

Autoridades disseram que encontraram mais de 400 cobras — ao menos 220 mortas —, além de vários comundongos e ratos na casa de William Buchman, em Santa Ana, depois que os vizinhos reclamaram do cheiro. Ele foi preso em uma investigação sobre negligência no cuidado de animais, disse Bertagna.

Leia mais notícias do Mundo Insólito

Buchman, 53, ainda estava sob custódia na tarde de quarta, afirmou Bertagna. A escola Newport-Mesa Unified, onde ele trabalha, recusou-se a comentar o assunto, dizendo que era uma questão policial.

Buchman ainda não apareceu perante a Justiça ou foi formalmente acusado, e não está claro se ele tem um advogado. Segundo as autoridades, ele vive sozinho, e seus vizinhos disseram que sua mãe, que vivia com ele, morreu há alguns anos.

Sondra Berg, supervisora da Divisão de Serviços de Animais do Departamento de Polícia de Santa Ana, disse que quatro de cinco quartos na casa estavam cheios do chão ao teto e de parede a parede com caixas plásticas em prateleiras de madeira ou de metal. As caixas estavam tão juntas, disse, que as caixas não precisavam de tampas porque não havia espaço para as cobras saírem.

Cada cobra foi catalogada por nome e tipo, e Berg e Buchman disseram às autoridades que ele estava envolvido em um negócio de criação de cobras.

"Casa dos Horrores: Essa é a melhor forma de descrever isso", disse Berg. "Havia tantas cobras mortas... algumas há meses ou há poucos dias. Havia uma infestação de ratos e comundongos em toda a casa. Há ratos e camundongos em tubos plásticos que estavam se canibalizando."

Algumas das cobras não passavam de esqueletos. Outras, mortas há pouco tempo, estavam cobertas de moscas e larvas.

Leia tudo sobre: cobrascalifórniasanta anapítonwilliam buchmaneua

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas