Governo norte-coreano controla até corte de cabelo; veja mais bizarrices

Por iG São Paulo |

compartilhe

Tamanho do texto

Num país com tantas restrições à liberdade individual, não há leis que restrinjam a venda e o consumo de maconha

A Coreia do Norte voltou ao noticiário depois da divulgação, na semana passada, da execução sumária de um tio do ditador Kim Jong-un, o terceiro na dinastia de tiranos que, desde 1948, dão as cartas no país de 24 milhões de habitantes e problemas estruturais gravíssimos - como falta de comida e energia elétrica.

Conheça a nova home do Último Segundo
Leia mais notícias de Mundo Insólito
Por fax, Coreia do Norte ameaça atacar Coreia do Sul

A nação, bancada durante décadas pelo regime comunista da União Soviética e que entrou em parafuso após a decadência dele, é um dos mais fechados do mundo. Os norte-coreanos são totalmente manipulados pelo governo, e os poucos visitantes admitidos no país são obrigados a seguir um roteiro onde muitas vezes há encenações da vida cotidiana preparadas para dar aos turistas uma falsa sensação de normalidade.

Sobram bizarrices no país, como você pode conferir na galeria abaixo. 

O governo regulamenta até o penteado dos cidadãos. As mulheres podem escolher entre 18 opções (as solteiras são obrigadas a usar cabelo curto). Os homens, dez.. Foto: ReproduçãoMesmo quando não estão na escola, as crianças são obrigadas a usar uniforme durante todo o tempo. É uma estratégia do governo para simular que há mais estudantes.. Foto: ReutersEsqueça 2013: na Coreia do Norte, o ano é 102. A contagem leva em conta a data de nascimento de Kim Il-Sung, fundador do país. O Ano Novo norte-coreano é em 15 de abril. Foto: AP PhotoO jornalismo é severamente controlado. Há um manual de redação escrito por Kim Jong-il, pai do atual ditador. Erros de digitação podem ser punidos com trabalhos forçados. Foto: ReproduçãoConsiderada a pior companhia aérea do mundo, a estatal Air Koryo investe mais nas aparências do que na frota - anunciou com estardalhaço o novo uniforme das aeromoças . Foto: AP PhotoTuristas ocidentais são obrigados a se hospedar no hotel Yanggakdo, que fica isolado numa ilhota no meio do rio Taedong, dificultando escapadas não-autorizadas.. Foto: DivulgaçãoSó militares e funcionários públicos podem ter carro (são 11 veículos por mil habitantes, contra 249 no Brasil). Para economizar eletricidade, os semáforos não funcionam. Foto: ReutersCom capacidade para 150 mil pessoas, o estádio nacional está em linha com a 
megalomania local: maior do mundo, é subaproveitado e abriga apenas eventos militares. Foto: DivulgaçãoO Hotel Ryugyong é outro bom exemplo de megalomania. Foi construído (e jamais terminado)só porque o ditador Kim Jong-il queria que o país tivesse um arranha-céu. Foto: DivulgaçãoQuase sem acesso à internet e a celulares, norte-coreanos têm rádios que só sintonizam a emissora do governo e não podem ser desligados. Aparelhos clandestinos dão cadeia. Foto: Reprodução/FlickrNum país com tantas restrições, o porte e consumo de maconha são legais. Ou melhor: não há nenhuma lei que trate do assunto, e vende-se a erva livremente.. Foto: Reprodução/Flickr


Leia tudo sobre: Coreia do Norte

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas