Mundo está vulnerável a mais altas de alimentos, diz Krugman

Por Jeremy Smith BRUXELAS (Reuters) - O economista vencedor do prêmio Nobel Paul Krugman pediu na terça-feira por uma ajuda melhor coordenada para lidar com os preços dos alimentos, alertando que o mundo está vulnerável a uma repetição da alta dos mercados agrícolas de 2008.

Reuters |

Falando em um seminário, Krugman afirmou que os motivos para o aumento dos preços dos alimentos no ano passado foram agora mascarados pela contração econômica e financeira, explicando que a falta de estoques físicos deixou claro que a especulação não tinha sido a principal causa.

"Estamos errados por termos tirado a atenção da crise de alimentos", disse ele. "Volatilidade é um problema claro...e ainda estamos extremamente vulneráveis a episódios desse tipo".

"Todas as indicações são de que a crise de alimentos de 2008 foi um ensaio geral para crises futuras. Seria melhor termos algum mecanismo para lidar com isso", disse Krugman.

Na primeira metade de 2008, os setores de alimentos básicos como cereais, carnes e laticínios tiveram fortes altas de preços.

Apesar de os mercados globais terem sofrido forte retração desde então, os preços de alimentos básicos ainda estão mais altos em termos reais do que no início desta década, completou Krugman.

Uma maneira melhor de lidar com o problema, que segundo ele causou "um extraordinário impacto humano", seria investir mais em pesquisa e desenvolvimento e produção futura de alimento, além de sincronizar de alguma maneira os vários pacotes de ajuda financeira de países desenvolvidos ao Terceiro Mundo.

"Uma coisa que podemos fazer é investir em futura produção de alimento. Está começando a parecer como se tivéssemos subinvestido seriamente e precisamos compensar", disse Krugman.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG