Multidão mostra solidariedade a gays de Tel Aviv

TEL AVIV (Reuters) - Dezenas de milhares de israelenses reunidos no centro de Tel Aviv neste sábado mostraram solidariedade à comunidade gay, uma semana depois de um atirador matar duas pessoas em um clube homossexual. O presidente Shimon Peres esteve à frente dos líderes políticos na demonstração de apoio e falou de um púlpito decorado com a bandeira do arco-íris.

Reuters |

"As balas que atingiram a comunidade gay no começo da semana nos atingiram todos como povo, como judeus, como israelenses", disse Peres em um discurso.

Sábado passado, um atirador mascarado entrou no centro comunitário gay para adolescentes de Tel Aviv e matou um homem de 26 anos e uma garota de 16. Outras 13 pessoas se feriram.

Uma multidão de dezenas de milhares de pessoas lotou a praça Rabin, um ponto de encontro para grandes protestos em Israel, para a demonstração pacífica de solidariedade, disse um porta-voz da polícia.

"Israel nunca vai se reconciliar com esse crime e não vai descansar até que o criminoso seja levado à Justiça... Esse terrível ato de assassinato não será tirado dos nossos corações", afirmou Peres. A polícia não revelou os motivos do atirador.

Embora Tel Aviv seja uma cidade cosmopolita, a homossexualidade aberta é discriminada em áreas mais conservadoras de Israel. Marchas do orgulho gay em Jerusalém frequentemente coincidem com protestos violentos de judeus ultra-ortodoxos, que consideram a homossexualidade uma abominação e contrária a Deus.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG