Mulheres-bomba deixam 35 mortos em metrô de Moscou

Pelo menos 35 pessoas morreram em duas explosões no sistema de metrô de Moscou, na Rússia, na manhã desta segunda-feira.

BBC Brasil |

Promotores russos afirmam que as explosões foram provocadas por duas mulheres-bomba .

AP
Forças especiais da polícia bloqueiam praça do lado de fora do metrô Lubyanka

Forças da polícia bloqueiam praça do lado de fora do metrô Lubyanka

A primeira explosão ocorreu na estação central de Lubyanka, embaixo da sede da principal agência de inteligência russa, a FSB, deixando pelo menos 21 mortos e dez feridos. Informações iniciais diziam que parte das vítimas estava em um dos trens, outra parte na plataforma.

Uma porta-voz do Ministério de Emergências disse que 14 pessoas morreram em um dos trens e 11 na plataforma.

A segunda explosão aconteceu na estação de Park Kultury, também segundo a agência, às 8h38 (1h38, no horário de Brasília), matando 14 pessoas. Outras 12 pessoas teriam ficado feridas.

"A explosão atingiu o segundo vagão do trem que parou em Lubyanka, às 7h56 (0h56, no horário de Brasília)", disse a porta-voz Irina Andrianova, segundo a agência Tass.

"Não houve fogo. Equipes de resgate dos serviços russos de emergência e bombeiros estão trabalhando no local."

A sede do Serviço de Segurança Federal da Rússia fica acima da estação de metrô.

AP
Bombeiros carregam corpo de estação de metrô Lubyanka

Bombeiros carregam corpo de estação de metrô Lubyanka

Segundo o correspondente da BBC em Moscou Rupert Wingfield-Hayes, as explosões parecem ter sido planejadas para causar o maior dano possível, em um momento em que muitas pessoas estão indo para o trabalho.

Esse foi o pior atentado em Moscou desde 2004, quando uma explosão em um trem, atribuída a separatistas chechenos, matou 40 pessoas.

Assista vídeo amador feito após atentados:


Leia também:

Leia mais sobre Rússia

    Leia tudo sobre: rússia

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG