Mulheres cometeram atentados no metrô de Moscou, dizem autoridades

MOSCOU - O chefe do Serviço Federal de Segurança (FSB) russo, Aleksandr Bortnikov, afirmou que os atentados que nesta segunda-feira deixaram 35 mortos no metrô de Moscou foram lançados por duas mulheres suicidas procedentes do Cáucaso Norte.

EFE |

"Segundo dados preliminares, os atentados foram cometidos por grupos terroristas que têm relação com o Cáucaso Norte. Essa é a principal versão", disse Bortnikov ao informar o presidente russo, Dmitri Medvedev, segundo as agências russas.

AP
Equipes trabalham perto de estão de metrô de Park Kultury

Equipes trabalham perto de estão de metrô de Park Kultury


Bortnikov afirmou que, "no local das explosões, foram encontrados partes dos corpos de duas mulheres suicidas (...) que, acredita-se, procedem do Cáucaso Norte".

As autoridades russas buscam agora outras duas mulheres filmadas pelas câmeras de segurança que acompanharam as terroristas suicidas até a entrada do metrô.

O FSB (antigo KGB), cuja sede fica na praça que abriga a estação onde houve uma das explosões, abriu uma investigação para determinar quem cometeu e organizou os ataques.

Segundo o Ministério de Situações de Emergência, pelo menos 35 morreram e 33 ficaram feridos nas explosões, registradas em um momento de grande movimento nas estações Lubyanka e Park Kultury.

O atentado mais grave cometido na Rússia por mulheres suicidas do Cáucaso Norte aconteceu em agosto de 2004, às vésperas do massacre de Beslan, quando dois aviões de passageiros explodiram no ar deixando cerca de 100 mortos.

Leia também:

Leia mais sobre Rússia

    Leia tudo sobre: rússia

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG